Em formação

Quando sua equipe de agilidade está pronta para o teste? As armadilhas de se mostrar muito cedo na agilidade canina


Kristin é instrutora de agilidade canina e competidora com 20 anos no esporte.

Meu Sheltie "Aenon" no Novice Ring

Assistindo à aula de principiante

Você se senta nas arquibancadas esperando ansiosamente pela aula de agilidade para iniciantes (iniciante). Você sempre gostou de ver os cães verdes e novos treinadores começarem suas carreiras de agilidade na classe de Iniciante. Há muito potencial envolvido nessas equipes iniciantes, e é divertido vê-las florescer e crescer no esporte.

Finalmente, a aula começa quando um jovem sheltie se aproxima da fila com sua treinadora de meia-idade. O condutor remove sua guia e ordena que ele "fique" na linha de largada. Observando o sheltie, você pode vê-lo lambendo os lábios. Este não é um bom sinal, você percebe e examina o sheltie mais de perto. O que você primeiro pensou foi excitação, você agora percebe que é estresse nervoso. O sheltie interrompe sua estadia por causa de seu nervosismo, e o treinador volta para o cão para repreender. Isso tem o efeito oposto pretendido, e o sheltie se afasta alguns passos do manipulador e fareja o chão.

Você já viu esse padrão de estresse mil vezes. Com certeza, assim que o manipulador libera o sheltie para correr, o sheltie leva os primeiros dois obstáculos lentamente, perdendo toda a energia com a qual havia entrado no ringue. Após os primeiros dois saltos lentos, o Quadro A surge. O sheltie imediatamente põe o nariz no chão, farejando e indo embora. O treinador grita para seu cachorro voltar. Ele não o faz, continuando a farejar e evitar o treinador e o obstáculo. O treinador muda de gritos para súplicas, e o cão retorna lentamente e completa o Quadro A.

No dogwalk, dois obstáculos depois, o padrão se repete. Depois de mais alguns obstáculos, as tramas aparecem. O cachorro sai imediatamente no que parece ser um zumbido animado e feliz. A multidão ri enquanto o cão voa ao redor do ringue, tentando "mudar de assunto" de fazer as tramas para brincar e aliviar o estresse. O treinador finalmente consegue pegar o cão de volta e, após várias tentativas malsucedidas nas tramas, o juiz ordena que a equipe siga em frente. O resto da corrida continua quase da mesma maneira que antes.

A equipe deixa o ringue com apenas alguns elogios verbais do treinador.

Essa, você sabe, é uma equipe que ainda não está pronta para o horário nobre. O cão foi forçado a entrar no ringue muito antes de a equipe ter confiança, velocidade, diversão e proficiência.

O problema com testes muito em breve

Esta é uma ocorrência infeliz, mas muito comum na agilidade canina hoje. O treinamento correto em agilidade leva de um a dois anos de treinamento árduo e constante para começar a pensar em entrar no ringue, mas muitos instrutores estão incentivando seus alunos a se apresentarem mais cedo.

Por quê? Bem, simplesmente, o dinheiro costuma ser a razão. Os alunos iniciantes em agility não querem ouvir que não estão prontos mês após mês, enquanto outras equipes mais experientes ou equipes com cães mais confiantes entram no ringue e têm sucesso. Essas equipes deixarão um instrutor para outro, que lhes dirá o que desejam ouvir. Em vez de dizer a verdade à equipe e perder alunos, os instrutores geralmente permitem que as equipes mostrem mais cedo. Os instrutores podem até se convencer de que isso é uma boa coisa a fazer, pois permite que as equipes "descubram no que precisam trabalhar".

O fato é que isso permite que o cão experimente um estresse prejudicial à carreira no ringue, pois é solicitado a realizar comportamentos para os quais ainda não está preparado em um ambiente já altamente estressante. O resultado é que o cão está aprendendo que o ringue é um lugar estressante e sem graça.

Quando você deve começar a mostrar seu cão de agilidade?

Idealmente, uma equipe deve colocar os pés no ringue pela primeira vez cheia de confiança. A equipe deve ter obstáculos independentes e 12 postes de trama independentes. Independente significa que o condutor não deve estar presente ao lado do cão para fazer com que o cão execute um obstáculo de maneira correta e segura. A equipe já deveria estar trabalhando em cursos de nível de mestrado de forma limpa na prática, e a equipe já deveria ter feito esse show no caminho para corridas divertidas, jogos e instalações de outras pessoas. (Veja a barra lateral à direita.)

Antes de expor, o cão deve possuir confiança com todo o equipamento. Além disso, o condutor e o cão devem demonstrar uma comunicação forte e o cão deve ter boas habilidades de foco. O cão também deve ter um recall confiável (comando vir) e habilidades sem coleira antes de mostrar.

As equipes preparadas para este nível entram no ringue do Iniciante com confiança. O novo treinador pode olhar para o curso de Iniciante e pensar "Uau. Isso é fácil." E ela DEVERIA pensar isso. Ela deve entrar no ringue sabendo que sua equipe tem as habilidades para fazer tudo naquele percurso. Eles podem cometer um erro, ou até muitos erros, porque ainda estão verdes, mas ela sabe que eles treinaram - e treinaram bem - tudo no curso.

Ela também sabe que seu cachorro entende seu trabalho. Ela não terá que se preocupar com ele não querer fazer o quadro A porque ele teve problemas no passado. Eles já venceram essas questões antes de competir. Ela sabe que ele vai atacar aquele quadro A com confiança.

Como o manipulador sabe que pode ser bem-sucedido, não há nada para se estressar. Essa confiança e falta de estresse irão direto para o cão, que também entrará no ringue com confiança e alegria porque esse é o sinal que está sendo enviado pelo condutor.

Eles podem não se qualificar, mas terão uma corrida com o mínimo de estresse e muita diversão. Afinal, Novato e Aberto, em sua essência, tratam apenas de ensinar ao cão que estar no ringue de agilidade é DIVERTIDO !!!

Estágios de treinamento antes da competição

O processo de treinamento necessário antes de entrar no ringue da agilidade é longo. Abaixo está um guia geral para ajudar o novo aluno de agilidade a entender alguns dos estágios que ele precisa concluir antes de entrar em sua primeira tentativa. Essas etapas podem facilmente levar até dois anos para serem concluídas.

  • Ir à aula. Pratique no quintal e nas instalações da escola de agilidade várias vezes por semana (de preferência cinco vezes por semana). Faça aulas semanais. Esta etapa continua durante toda a competição.
  • Participe de corridas divertidas. Corridas divertidas (show-n-gos) são eventos simplesmente não sancionados onde um clube de agilidade convida outros entusiastas de agilidade na área a usarem seus equipamentos. Normalmente, os participantes pagam uma determinada quantia por dois a cinco minutos no curso. Os participantes podem passar seus minutos no ringue trabalhando em quaisquer habilidades que desejarem. Geralmente guloseimas e brinquedos são permitidos. Corridas divertidas são ótimas para equipes que possuem equipamentos e habilidades de sequenciamento.
  • Visite as instalações. Os cães não generalizam bem os equipamentos. Embora seu cão possa entender completamente o que é passear com o cão em sua escola de agilidade, quando ele vê um outro passeio com cachorro em uma instalação diferente, ele não pode generalizar que esse passeio diferente é semelhante ao seu passeio normal. Por isso, é importante levar seu cão a muitos conjuntos diferentes de equipamentos e instalações de agilidade. Isso é feito indo a outros treinadores para aulas particulares, marcando visitas às casas e campos de agility de seus amigos e por meio de corridas divertidas e Partidas. Não economize nesta etapa, pois uma das maiores causas de estresse no cão de agilidade Novato é o medo dos diferentes equipamentos.
  • Assistir jogos. Os jogos são assuntos mais formais que imitam julgamentos. Nas partidas, as equipes muitas vezes são obrigadas a executar o percurso e, geralmente, guloseimas e brinquedos não são permitidos no ringue. As partidas são ótimas para novas equipes que estão se preparando para o julgamento, mas ainda não chegaram lá. É aqui que as novas equipes podem ir para descobrir o que precisam para trabalhar em um ambiente muito menos estressante do que um teste real, já que não há títulos ou qualificações em jogo em uma partida.
  • Entrar nos testes. Depois que as equipes estiverem totalmente preparadas para a competição, elas podem começar os testes.

Testar cedo ensina ao cão que agilidade tem a ver com estresse

Mas e quanto à equipe que não está preparada para a aula de Iniciante? O treinador está ensinando ao cão que estar no ringue de agilidade significa estresse. Se, em sua essência, Novato e Aberto tratam de ensinar um cão que estar no ringue é divertido, por que os treinadores mostram seus cães mais cedo? Seria melhor esperar.

Como treinador, sei que não posso impedir as equipes de competir cedo. Eu também entendo que o longo caminho através do treinamento pode desmotivar especialmente o verdadeiro treinador iniciante que às vezes eu vou falsificar alguns desses requisitos "deve ter antes de mostrar", desde que tenha certeza de que o treinador realmente entende que Novato e Aberto são - no fundo - apenas sobre o cão aprender que o ringue é divertido. Se uma equipe jovem aparecer um pouco mais cedo e o condutor ou o cão ficarem estressados ​​ou nervosos, sugiro fortemente que o condutor espere e continue indo apenas para corridas e jogos divertidos.

Alguns dos sinais de estresse canino

É importante conhecer alguns dos sinais de estresse em seu companheiro canino. Se eles estiverem presentes no ringue, avalie se sua equipe deve continuar testando.

  • Evasão. A evitação pode ser um cão evitando uma peça do equipamento, evitando um comportamento conhecido (como uma estadia), evitando o contato visual com o condutor, fugindo, etc.
  • Cheirando. Quase todas as cheiradas no ringue são cheirar o estresse. Você pode ver a diferença entre cheirar o estresse e cheirar de verdade com muita facilidade. Se um cão está em um cheiro verdadeiro, a cheirada terá um propósito e haverá um forte significado nos movimentos do cão. Farejar o estresse é mais sem objetivo e sem propósito. Quando o focinho de um cachorro cair no chão no ringue, suponha que seja farejando o estresse, porque muito raramente não é. Farejar é basicamente evitar.
  • Zoomies. A maioria dos novos competidores não percebe que, quando um cachorro fica excitado, é na verdade um sinal de estresse. Claro, parece exatamente o oposto. O cachorro está alegre, correndo ao redor da pista, com sorriso no rosto e com o rabo no ar. Como isso poderia ser estresse. Bem, é verdade. Alguns cães estressam "alto". Pense nisso como um estudante universitário após as provas finais. Todo o estresse de estudar tarde da noite e fazer longos testes aumenta. Após a última final, o aluno sai para festejar a noite toda, aliviando aquele estresse reprimido. Seu cão está se divertindo no ringue para aliviar o estresse de ter que fazer um obstáculo que ele acha assustador ou ter que estar no ringue onde ele aprendeu que o estresse é maior.
  • Lambendo o lábio. Freqüentemente, fotógrafos em testes de agilidade podem detectar esse comportamento enquanto o dono nem percebe que o cachorro está lambendo os lábios devido ao estresse.
  • Olho de baleia. É aqui que os olhos do cão são tão grandes que os brancos estão aparecendo.
  • Alunos aumentados.
  • Coçar. Um sinal incomum de estresse, este também é um comportamento de evitação.
  • Fazendo xixi ou cocô no ringue. Assim como alguns de nós, quando alguns cães ficam nervosos, eles têm que ir. Mesmo os cães que acabaram de tomar banho antes de uma corrida podem apresentar esse comportamento sob estresse.

Como responder ao estresse canino

Quando você vê esses sinais, se você responder com punição (ou seja, geralmente um comando de voz áspero "Não, Rover, venha!) Você está sobrecarregando o cão. Isso é exatamente o oposto do que você quer fazer. Se o seu cão está estressando, ao invés de descer sobre o cão, vá "para cima" nele. Aumente o tom de sua voz para níveis mais altos e felizes. Ilumine sua postura corporal. Vá para o modo de brincadeira. Lembre-se de que agilidade tem a ver com DIVERSÃO, não punição e trabalho forçado.

Existe uma linha tênue entre um cão que evita comportamentos de estresse e um cão que teimosamente não obedece. Se o orientador tiver certeza de que a evitação de comportamento não está relacionada ao estresse, a melhor aposta é buscar o conselho do instrutor da equipe sobre a melhor forma de lidar com a situação. Adicionar qualquer punição ao ambiente do ringue deve ser feito com extremo cuidado e somente após levar em consideração o temperamento do cão. Uma correção exagerada feita no ringue pode deixar efeitos duradouros na carreira de agilidade de um cão.

Se o seu cão mostrar sinais de estresse na pista, pode ser melhor remover o cão de exibições e retornar às corridas e partidas divertidas até que o problema que está causando o estresse possa ser eliminado. Continuar a mostrar provavelmente só causará mais e mais estresse acumulado no assunto, tornando o problema ainda pior.

A classe de principiante continua

O sheltie que você viu correr no ringue do Novato sai com seu manipulador e uma nova equipe começa a entrar na linha. Este é um schnauzer de cor escura com uma jovem segurando. O cão está obviamente feliz, olhando animadamente para o condutor e para a arena ao primeiro obstáculo. O treinador senta o cachorro, diz a ele para ficar e sai rapidamente após o primeiro salto. O schnauzer olha rapidamente ao redor, mas se acomoda rapidamente, focando em seu mestre enquanto o dono termina sua guia.

Após o lançamento, o schnauzer feliz e rapidamente dá os primeiros dois saltos e corre de cabeça para cima no quadro A. A equipe corre bem, mantendo-se em comunicação constante durante toda a corrida. O cão perde a entrada da trama na primeira vez, mas corrige na segunda tentativa. O treinador, que obviamente é novo em agilidade, vira os ombros muito rapidamente, puxando o cachorro de um salto e enviando-o para um curso errado. A equipe se recompõe do erro comum e continua. Uma barra é tocada mais tarde quando uma deixa é dada tarde, mas enquanto a equipe não se classificou, ainda é óbvio que esta equipe verde está preparada para os desafios da classe Novato.

Ao terminar, o treinador grita de entusiasmo para seu cão como se eles tivessem acabado de ganhar o campeonato, e o cão responde com alegria descarada. O cão correu com confiança e embora a equipa não se tenha classificado, o cão aprendeu a parte mais importante da agilidade.

Estar no ringue tem tudo a ver com diversão.

Uma palavra do autor

Há muito debate entre os instrutores de agilidade sobre quando permitir que os alunos façam o teste, e este tópico é surpreendentemente bastante emocional e controverso. Acredito fortemente que a agilidade deve ser sempre, antes de mais nada, diversão. Em minha opinião, não há absolutamente nenhum sentido em colocar estresse extra no cão, pedindo-lhe para realizar comportamentos no ambiente de ringue de alto estresse que ele ainda não entende solidamente.

Eu já vi centenas de equipes de agilidade promissoras caírem no esquecimento por terem sido atingidas pelo speedster "tentando muito cedo". Essas equipes se mostraram muito promissoras no treinamento, mas o desejo de entrar na competição muito rapidamente fez com que os cães ficassem tão estressados ​​que pararam. Logo as equipes desaparecem da agilidade, vítimas de um desempenho apressado.

Sei que outras pessoas podem discordar e, de fato, já vi times entrarem no ringue cedo e se tornarem campeões. Fiz isso com meu primeiro sheltie, Aslan, que agora é campeão de agility cinco vezes. No entanto, agora sinto que se tivesse esperado mais, alguns dos problemas recorrentes que vivemos ao longo dos anos não teriam acontecido. Seríamos, hoje, uma equipe mais forte se eu tivesse dado mais treinamento a Aslan antes de entrar no ringue.

Eu acredito que é sempre melhor errar pelo lado da cautela e desenvolver confiança, precisão, velocidade e entusiasmo para o jogo fora do ringue, e então levar essas qualidades fundamentais para o ringue pela primeira vez para garantir um maravilhoso e precoce experiência de agilidade.

Kristin Kaldahl (autora) em 25 de janeiro de 2019:

Isso não é incomum. Corridas e partidas divertidas podem ser difíceis de encontrar. Outras opções são encontrar lugares fora de seus locais habituais de treinamento para treinar. Eu envio meus alunos para as casas das pessoas locais de agility que têm equipamentos. A configuração não precisa ser um curso completo. Apenas colocar seu cão em um novo ambiente com uma nova oscilação e três novos pulos será ótimo. Quanto mais desses lugares você puder visitar, melhor. Pergunte ao seu treinador se ele conhece alguém que permitiria que você visitasse seu campo de treinamento para praticar um pouco. Vá para vários. Quanto mais melhor. Com certeza você vai querer encontrar bons balancins para praticar e, se conseguir encontrar um quadro A, dogwalks, pneus, mesas e outras coisas, ainda melhor. Além disso, se a sua área oferece locais com treinamento pré-iniciante - como o programa ACT do AKC ou o programa de berçário do USDAA - entre neles. Alguns locais oferecem oportunidades apenas para exibição, o que também é um ótimo lugar para começar. Boa sorte!

LunaTheAgilityDog em 25 de janeiro de 2019:

Estou pensando em competir com meu cachorro em cerca de 4 meses. No entanto, não há jogos divertidos em qualquer lugar perto da minha cidade. Você tem alguma outra recomendação que possa ajudar a preparar Luna para um teste?

Kristin Kaldahl (autora) em 07 de dezembro de 2016:

Infelizmente, não conheço sua equipe e, portanto, não posso dizer se você está pronto para o horário nobre ou não. No entanto, se você está se perguntando, encontre uma partida divertida (também chamada de corridas divertidas, show-n-gos, etc.) onde você possa ir e treinar no ringue. Esses são testes "falsos" que também permitem que você treine no ringue, pegue brinquedos e às vezes guloseimas no ringue, corra quaisquer obstáculos que quiser, etc. Eu gosto de ir ao máximo possível antes de mostrar aos meus cães. Eu acredito que meu filho atual de 3 anos foi para quatro ou mais antes de eu saber que ele estava pronto para aparecer.

Além disso, quão independentes são seus obstáculos? Em outras palavras, você tem que estar próximo a eles para que ele os faça? Nesse caso, você terá mais treinamento para aumentar a confiança nele antes de tentar o teste.

É verdade que, para algumas pessoas, eles esperam demais para serem julgados. A maioria, entretanto, experimenta cedo. Muito poucos acertam na mosca e começam o teste na hora certa. Dos três, testar cedo é mais difícil para o cão do que tentar tarde demais.

Além disso, considere ir a um julgamento AKC ACT. São testes especificamente configurados para que o iniciante teste suas habilidades e veja onde está. Você está pronto para um teste real? Essas provas para iniciantes são menos intensas e mais relaxadas e uma ótima maneira de apresentar seu cão ao ringue de competição. Você também obtém um título real após preencher os requisitos por meio do programa ACT. É novo, e você pode descobrir mais sobre o programa ACT através do site do AKC (se você estiver nos EUA).

Sorria em 07 de dezembro de 2016:

Então estou discutindo se devo começar a tirar meu filho ou não. Eu tenho dificuldade em julgar. Ele praticamente superou todos os obstáculos desde o primeiro passo. Até mesmo as tramas têm sido uma brisa. Mas eu sei que as provas de agilidade são de muita energia, o que ele realmente não é na maioria das vezes, e outros cães latindo para ele podem confundi-lo ao passar por caixas. Você acha que começar com um teste de rally seria uma boa maneira de apresentar o ambiente Full on trialing? Eu sou o tipo de pessoa que fica paralisada por análise e provavelmente sem ser empurrada nunca entraria em nada. Como você disse acima, seria tudo sobre se divertir e sua obediência está muito mais adiantada, já que inicialmente planejei iniciá-lo com isso, mas as aulas de agilidade eram mais fáceis de encontrar.

Não conheço apenas um milhão e um de pensamentos nadando em meu cérebro. Na maior parte do tempo, estou trabalhando bastante sozinho no momento para apresentar minha compreensão das habilidades, mas eu venho de uma formação de cavalos e há algo para simplesmente sair e ir para ALGUMA COISA, contanto que você mantenha a atitude certa.

Jean Rowe em 07 de setembro de 2016:

Sou fã, mas a descrição da idade foi necessária? "treinadora de meia-idade." era o pobre condutor e o jovem melhor. Tenho 72 anos e estou me divertindo muito com meus parceiros de alto impulso, 3ª e 4ª agilidade, Labradores de campo.

Kristin Kaldahl (autora) em 05 de agosto de 2016:

Ah !! Isso pode te dizer algo. Eu sugiro não fazer lead outs, a menos que seja absolutamente necessário. Pratique sentar e permanecer em ambientes perturbadores, como Petsmart, Lowes, Home Depot. (Você pode levar cães lá.) Isso o ajudará a aprender a se sentir mais confiante com estadias no agility. Pratique "agir" feliz na linha de partida, onde seus nervos estão à flor da pele. E lembre-se, todo mundo já viu de tudo isso antes. A única coisa que não vi é um juiz realmente ser mordido. Caso contrário ... eu vi isso. Você só vai fazer o que quer e se divertir !! Sorria antes de pegar o anel e mantenha aquele sorriso enquanto conduz.

E obrigado por suas amáveis ​​palavras. Estou no computador hoje fazendo uma versão "treinamento de cães domésticos" do artigo sobre emoções de alimentação. Deve ser lançado em breve. É voltado para o público proprietário de cães em geral.

Você consegue fazer isso!! Você pode superar todos esses obstáculos. Eu tenho fé em você. :)

Boa sorte!!

Laurie em 05 de agosto de 2016:

Vou revisitar esse artigo! Foi um dos primeiros que vi o seu que me fez seguir o seu blog. Também sou lento e manco por causa da esclerose múltipla. Seus artigos à distância foram excelentes para mim. Também farei com que alguns amigos meus observem para ver se há algo específico que estou fazendo. Eu simplesmente fico tão nervoso quando passo para a linha de partida, que sei que há uma desconexão aí. Hoje acabei de fazer uma corrida normal com um túnel e não consegui sair na frente. Adivinha? Sem desconexão. Sem cheirar. E nós nos qualificamos. Primeiro AKC Q! Mas preciso de uma pista. *suspirar*. Obrigado pelo feedback!

Kristin Kaldahl (autora) em 05 de agosto de 2016:

Infelizmente, como não consigo ver sua equipe trabalhando, não posso responder. Você fez a devida diligência com as partidas divertidas, visitando novos equipamentos, etc.? Sugiro que converse com quem melhor conhece sua equipe. Veja se eles veem alguma falha em seu treinamento que pode estar causando estresse em seu cão. Além disso, faça um vídeo na prática. Em seguida, faça um vídeo de você mesmo nos testes. No julgamento, certifique-se de filmar a si mesmo no portão do ringue antes de entrar no ringue, bem como depois de sair do ringue. Procure sinais de estresse vindos de você. Você está prestando atenção ao seu cão ou ao meio ambiente? O portão circular é onde você destressa o seu cão e obtém a sua fiança. Eu vejo muitos condutores com cães estressados ​​ignorando seus cães no portão do ringue. Veja se suas emoções na prática são semelhantes ou diferentes daquelas antes da corrida, corrida e pós-corrida em um julgamento.

Você pode se beneficiar lendo este artigo: https: //hubpages.com/dogs/Is-What-You-Are-Feeding -... Você pode estar alimentando nervosismo e medo em vez de confiança para seu cão no ringue de teste.

É verdade que, às vezes, se você fez toda a diligência com o treinamento, partidas divertidas e visitas a novos equipamentos, você simplesmente precisa entrar em ação. Tive alunos que estavam prontos muito antes de terem coragem de fazer o teste. Converse com seus amigos. Deixe-os ajudá-lo a avaliar sua preparação. Eu te desejo sorte!!

Laurie em 05 de agosto de 2016:

Recentemente, comecei a seguir meu cachorro muito cedo e puxei-o por causa do estresse do anel. Ela estava indo bem nos treinos, mas não nas provas. Depois de mantê-la fora por 4 meses, começamos de novo na semana passada. Estamos tendo os mesmos problemas.

Nunca fui um treinador confiante, especialmente em julgamentos. Meu antigo primeiro cão de agilidade também teve grande estresse no ringue, mesmo em seus níveis de mestre e elite. Eu acho que é mais uma coisa que eu tenho que trabalhar e não relacionada às habilidades do meu cão. Ela tem quase dois anos, estamos realizando cursos de mestrado com poucos erros na prática, trabalhamos diligentemente em trabalhos planos e fundações nos meses em que estivemos fora, e minha conclusão é que preciso fazer um teste com ela para trabalhar em questões de teste - embora eles são meus. Eu poderia estar faltando alguma coisa em seu treinamento?

Kristin Kaldahl (autora) em 05 de agosto de 2016:

Obrigada Melanie. Como diz o artigo, se você observar esses sinais de estresse em seu cão, deve AVALIAR se deve começar o teste - não que você absolutamente não deva rastreá-lo. Mesmo agora com meus cães MACH / PACH e Masters, avalio sinais de estresse. Os sinais são causados ​​pela adrenalina da situação ou são mais graves? Todos os bons treinadores devem avaliar constantemente esses sinais para ter certeza de que seu treinamento / exibição não está causando nenhum efeito emocional prejudicial ao cão.

Meus cães também têm pupilas dilatadas. Como esse é o único sinal que eles mostram e como eu tenho cachorros de alto drive, não me preocupo com isso. Quando combinado com lamber os lábios ou qualquer outro sinal, então dou um passo para trás e penso um pouco.

Melanie em 05 de agosto de 2016:

Não discordo da maior parte deste artigo, mas meu cachorro Masters de 9 anos ainda não estaria competindo se as pupilas dilatadas significassem que eu não deveria testá-lo ainda!

Kristin Kaldahl (autora) em 28 de setembro de 2015:

Eu gostaria de poder ver seu cachorro pessoalmente, mas, como está, sugiro que você confie no conselho do seu treinador. Provavelmente há outros fatores envolvidos aqui, especialmente se você recorreu à medicação, que é sempre o último recurso. Tive um esquimó americano resgatado que sofreu abusos e que adorava agilidade em casa e na escola, mas não se divertia no ringue. Trabalhamos por alguns anos fazendo toneladas de socialização, condicionamento clássico e muito mais, mas seu abuso anterior a deixava nervosa no ambiente de agilidade de alto estresse. Eu a aposentei depois de seu título NAJ porque não vou mostrar um cachorro que não gosta. Ela adorava ser minha rainha da casa. :) Converse com seu treinador, comportamentalistas e amigos experientes que conhecem você e seu cachorro pessoalmente. Certifique-se de observar o ambiente e o treinamento de sua casa, pois isso se transforma em agilidade mais do que imaginamos. Espero que você possa encontrar uma solução diferente de realocação. Boa sorte!!

riskon0402 em 28 de setembro de 2015:

Muito obrigado pelo seu contributo. Acho que isso confirma o que tenho medo - que esse cachorro precisa de um novo lar. Eu o comprei especificamente para agilidade quando meu outro cachorro começou a ter problemas recorrentes nas costas. Todas as coisas que você mencionou foram feitas. Ele foi levado a testes desde os 3,5 meses de idade quando o comprei e parecia confortável depois de um tempo. Socializar eventos sim, mas ele ainda não gosta de ninguém além das 2 pessoas e 4 cães com quem vive. Ele geralmente me puxa para fora do carro e para os ringues nos julgamentos e na escola e parece feliz por estar lá agora. Ele tomou Paxil nos primeiros 6 meses que eu o tive apenas para levá-lo para a escola e passear. Ele está definitivamente 1000% melhor, mas pessoalmente ele me estressa com sua ansiedade de separação e nupfobia. Quando eu o tiro da caixa para correr (e ele está aqui há 30 minutos ?, é como se ele não me visse há 5 anos!) Muitas coisas podem afastar as pessoas do agility, neste caso pode ser o cachorro!

Kristin Kaldahl (autora) em 28 de setembro de 2015:

Com o pouco que sei sobre sua situação, estaria olhando os sinais do meu cachorro. Farejando? Evitar? Isso significa estresse. Estresse significa agilidade não é divertido no ringue. Se você fosse meu aluno, sugeriria que parasse de fazer o teste imediatamente porque está ensaiando comportamentos estressantes com seu cão e aumentando ainda mais o estresse no ringue. Eu faria todas as coisas na barra lateral de cor azul acima por um ano. Eu também visitaria todas as provas que pudesse com meu cachorro, sentado à margem do condicionamento clássico. Eu também estaria socializando o cão em pedaços, indo a algum lugar novo e excitante quase todos os dias. Você pode continuar trabalhando com o medo do ringue sem realmente pisar no ringue. Quando o seu cão estiver ansioso para ir às provas, correr feliz em partidas divertidas em OUTRAS instalações estranhas e se sentir confortável em quase todos os ambientes de socialização, volte ao ringue. Esse seria o meu conselho. Não é "evitar" o anel. É um treinamento PARA o ringue. :)

Dito isso, não vi seu cachorro pessoalmente, então, por favor, leve isso em consideração. Este conselho é baseado apenas nas pequenas informações em sua resposta. Se eu vi seu cachorro pessoalmente, posso ter outras idéias para você.

riskon0402 em 28 de setembro de 2015:

O que fazer com 20 meses. velho PRT que faz tudo em casa (tenho um curso completo de equipamentos de competição em casa) e na escola perfeitamente em grande velocidade, tece 12 postes rápido em todos os ângulos, ótimas estadas, saltos, contatos, etc. Comecei a testá-lo aos 15 meses . e tem 5 mos. de 39% de taxa "Q". Ele oscila entre o bom e o mau desempenho (farejar, vagar). Ele não é amigável com cães e pessoas estranhas e eu consultei um comportamentalista sobre como resolver isso. Ela não sente que evitar é o melhor caminho. Manter ele afastado por mais um ano ou apenas continuar tentando? Eu fico otimista, não importa o quão ruim as coisas acabem no final da corrida!

Kristin Kaldahl (autora) em 04 de novembro de 2014:

Obrigada!!! Ele simplesmente ADORA aparecer. É de longe sua coisa favorita.

FuffandJill em 03 de novembro de 2014:

Aww ... grande sorriso! Ele é tão lindo, e como ele estava se divertindo! :-) Ótimo vídeo!

Kristin Kaldahl (autora) em 02 de novembro de 2014:

BTW, adicionei um novo vídeo ao topo da página. Meu bebê sheltie, Aenon, estreou em meados de outubro, e essas são suas sequências de estreia. Ele entrou no ringue com confiança e alegria.

Kristin Kaldahl (autora) em 02 de novembro de 2014:

Yay você !!! Estou tão feliz que você e seu cão estão gostando da viagem, que é exatamente o que agilidade. E estou feliz que você tenha um novo treinador que está lhe ensinando muito. Divirta-se!!

FuffandJill em 02 de novembro de 2014:

Espero que você não esteja cansado das minhas atualizações, porque embora eu tenha continuado testando com meu cachorro que não está realmente pronto, AINDA estou tão feliz por ter lido este post antes de nosso primeiro teste ou acho que as coisas poderiam ter sido muito diferentes . Por causa do que sua postagem dizia sobre níveis específicos de curso e habilidades que as equipes deveriam ter antes de competir, procurei um treinador com um programa muito mais estruturado e voltado para a competição que inclui muitas habilidades básicas. Meu cachorro e eu amamos nosso novo treinador! Não fizemos perguntas até o nosso terceiro teste (em julho), mas desde então, estivemos em mais quatro testes e temos melhorado continuamente e ficado mais consistentes. Meu cachorro é MUITO mais consistente do que eu, então ainda tenho que ser muito cuidadoso para não deixá-lo saber quando estou frustrada comigo mesma. Ele ainda está mais feliz quando estamos praticando agilidade, quer estejamos praticando ou competindo, então acho que superamos nossa falta de preparação sem que eu fizesse grandes danos à sua psique. Não tenho certeza se * lamento * exatamente ter começado o teste muito cedo, mas sabendo agora o quão rápido poderíamos progredir com um bom treinador em apenas alguns meses, eu provavelmente escolheria não correr para competir se estivesse começando tudo de novo. (Se eu tivesse ficado com nosso treinador original, que era ótimo em obediência, mas não em agilidade, não sei se nós * alguma vez * estaríamos prontos.) Não tenho certeza de onde essa jornada acidental de agilidade levará meu cachorro e eu, mas com certeza é muito divertido até agora! Obrigado novamente!

Kristin Kaldahl (autora) em 13 de julho de 2014:

Obrigado por postar sua opinião. :) Em primeiro lugar, devo salientar que nunca disse que "todos" os zoomies são zoomies de estresse. Dito isso, estou pensando que você pode não ter entendido para onde eu estava indo. Uma pessoa também não consideraria uma festa da faculdade um sinal de estresse, e ainda assim é. Zoomies são uma forma de aliviar o estresse reprimido. Portanto, embora seu cão possa zunir no quintal durante um jogo de bola, é a maneira do cão aliviar o estresse de ficar em casa o dia todo. É uma forma de gastar energia reprimida e dizer: "Uau !!! Estou trancado em casa entediado há horas. Isso foi difícil para um cachorrinho !! É hora de se soltar e festejar !!" É um calmante e um sinal de que seu cão precisava de liberação de energia? Sim, ele é. Eu acho que TODOS os zoomies são sinais de estresse que precisam ser tratados pelo treinador? No. But zoomies in the ring need to be examined carefully to discover the reason for the stress. That stress may need immediate intervention.

Lisa Padgett on July 13, 2014:

I disagree all Zoomies are from Stress/Avoidance, etc. I have a Zoomie dog. She Zoomies in the yard every day when alone. I watch her through the window. We play outside. I'll throw a ball, she'll zoomie. We practice agility games for a few minutes here and there a day in the yard. She will zoomie. Those zoomies are not from stress. I 'have' seen my dog stress zoomie a couple times and it looks different to me. I remain in strong disagreement against the camp that proclaims 'all' zoomies are stress.

Kristin Kaldahl (author) on April 28, 2014:

Thanks for letting me know how it turned out!!! It sounds like you made each run fun for him, and that's what it's about. Yay!!!

FuffandJill on April 28, 2014:

I thought you might want to know how things turned out. I really took your advice to heart, which was good because my dog had epic anxiety - more than I'd ever seen from him except on the 4th of July - for the first day of the trial. He actually finished his first run, and then went through a streak of runs where he zoomed. Then, for our very last run, he was absolutely at his best, so I didn't let him know I'd completely had a brain fart and sent him to the wrong jump. We sort of jumped our way back to the real course, and he had a beautiful finish. So proud of my little dog!

All things considered, I'm glad we went, and I'm planning to keep going to trials as we continue training, with the caveat that I'm going to keep thinking of them as training, as you suggested. There were a lot of things I couldn't have learned in any other situation but a real trial, but I think the advice to make sure he's having fun and not to try to Q till we're ready to try to Q was exactly what I needed to make it all work.

Thanks so much again!

Kristin Kaldahl (author) em 21 de abril de 2014:

Yay for you!!! You are SO RIGHT about your frustration with yourself transferring via non verbal (and verbal) ques to your dog. In class, I won't let my students say, "Oh shoot!!! My shoulders were turned wrong again!" or anything similar to me because the dog hears "Oh shoot, my dog messed up again!" I work with my student to have them reward and play with the dog FIRST and then when it's done, turn to me for a discussion of what went wrong.

Good for you for seeing this in my video!! It's exactly right!! :D

Thanks for commenting, and have a blast with your dog. Agility is so fun!!!

FuffandJill em 21 de abril de 2014:

Thank you, thank you, thank you!!!! This has to be the best post ever!!!! (It helps my nerves, too, to think about the long term instead of just next weekend.) Aslan is totally amazing - I loved seeing him fly.

My dog is a 3 or 4 year-old cockapoo (he's a rescue, so I'm not sure which), and one thing I've noticed in class is that all his "mistakes" are really my handling mistakes - he is a wonderful mirror in that if he's clear about what I want, he'll try to do it. But watching your video, I realized that even if I'm frustrated with myself and not him, he'll just see my disappointment and respond to it...he won't know it's because I feel I've let him down, and I imagine it affects class as well, which is still his favorite thing in the universe.

Thank you for the terrific take-away! I know it will be good for both of us, and I've already given up my fantasies of a Q this time out.

Kristin Kaldahl (author) on April 20, 2014:

My advice has to do with your mental head game. Since you're entered, make sure you're going into it NOT thinking about doing well or Qing. Your only job is to make it fun for your dog. As long as your dog doesn't bite the judge or attack a ring steward, then you need to let him know that being in the ring is a blast!!! I use lots of excited, play, praise voice in the ring. Lots of toys and treats outside the ring (especially afterward).

If you're thinking of doing well or even qualifying, you might - even accidentally - give off negative signals when your team makes a mistake. This puts stress on the new dog in the ring. By not caring how you do and looking at this soley as a training experience, you won't care about the mistakes. All you need to care about is that the dog has fun in the ring.

I'm going to include a link to a video I have of some of my runs with my little boy Aslan where things didn't go so well (at the beginning of the video and in the middle of the video). Watch me, and see if you can see the subtle non-verbal ques I send off showing my disappointment with the error. These small, unintentional signals (deceleration, hand signal drops, shoulders drop, energy leaves, etc.) would, over time, affect even a seasoned dog like Aslan causing him to lose confidence. These would far, far more greatly affect a green dog in a scary, new ring.

By not caring about how you do - really not caring - you may be able to avoid some of these non-verbal signals and energy loss from me after our mistakes.

Your goal is only to make your dog have fun in the ring. If this means your dog goes in the ring and runs past everything but one jump, then hey. That's the best jump any dog ever took!!!! Celebrate it like that!!!! :D

FuffandJill on April 20, 2014:

I don't know if you're still checking responses to this post, but I found it very helpful. My dog and I are signed up for our first CPE trial for next weekend (a first for both of us), entered only in events where we feel very comfortable with all the obstacles. I'm pretty sure you would say we're not ready yet, but I don't want to back out. Do you have any advice for making this trial fun for my dog (besides giving lots of praise and not scolding him when we act as inexperienced as we are)?

TX4dogs on October 24, 2013:

Just came across this article. I agree with many of the points, however I think that the key to deciding when to enter your novice dog is the handler's ATTITUDE.

I have put my novice dogs into trials "too soon" - but I had zero expectations of Qs and usually had just one or two goals (for example: practice contacts) per trial. Also, I only did trials that allowed some training in the ring (NADAC, CPE, ASCA, etc) so I could do as much or little as I thought the dog needed. One time I even told the judge - we're doing the first 5 obstacles and that's it. I just wanted the dog to have a positive ring experience and stay focused for 5 obstacles. Big celebration after that 5th obstacle. Exited the ring. Also, when starting a novice dog trialing, I never corrected the dog in the ring. I might make the dog re-do the obstacle, but I'd act like it was part of the course to go around and do it again and be the cheer leader when the dog did it right the 2nd time.

If I am expecting Q's at the first trial with my novice young dog, then yes, I should wait and not enter. But if I am expecting to reinforce skills already taught, practice, and show the dog the trial environment is FUN, then yes I think it's okay to go ahead and enter. And sometimes you Q anyhow!

murraymonster on October 24, 2013:

As someone who recently started competing with her Novice A dog, after about a year of training, I agree with the majority of this article. But I'd also say that it really depends on the team AND also to caution against waiting too long.

When I entered my first AKC trial, I didn't even think about the Q. I just wanted my dog (who's a reactive and soft rescue) to have fun. I got his measurements before entering a trial to take off that stress. I thought about how we'd party post-run and walked the course with phrases like "good boy." I planned for a start line stay but also decided that if he seemed the least bit stressed I'd run with him. As it turned out, I entered the ring completely non-stressed and my dog ran great. And that's been our routine at every trial and he's been doing really, really well.

The other upside in trialing when I did (and I entered my first trial only after going to many a show-n-go, etc), is seeing what agility is supposed to look like. When you're a Novice A competitor in a group class with others at your level, you don't know what the end result is, or that it's all about SPEED (as you so aptly put in your agility for rookies article). When I went to my first show-n-go, I was lucky because it was held at a place that held USDAA trials and there were a lot of top competitors their tuning their dogs up for Cynosport. So I got to see good agility. Going to a trial is the same. I realized that there's a clock and that speed did play a role. When I first signed up for an agility class, I knew nothing about it other than "my dog will look so cute climbing on stuff!"

Conversely, I have friends who waited for 4-5 years to trial (our local club's agility instructor told students to wait to compete until they knew they could Q in every run). They didn't know about SCT or the emphasis on speed, period. When they enter the ring it's much more stressful as they have the expectation to Q and also the worries about the end result because they waited a long time. Most of their dogs are accurate but are now running into time fault issues, which is another beast. But the handlers look stiffer, and more nervous, and the dogs in turn are more nervous. However, if I went in with that same mentality, my dog would do just the same.

So while I do think that there is such a thing as starting too early, there's also a lot of stress in starting too late. For me & my dog, when we started was "just right." Some people may have entered the ring with him earlier or later than me, but we have a great time on every run and in his mind, he's a champ after every single run, Q or NQ.

Kristin Kaldahl (author) on October 14, 2013:

I'm hanging out on the internet today and caught this shortly after you posted it. I'm so very pleased that my article has helped you!!! Yes, don't give up. You're just a new, green team that needs more seasoning. :)

The biting and nipping is a very normal herding behavior, and border collies, shelties and other herding dogs often do this when they get over excited. And, yes, like zoomies, it is often (but not always) a sign of stress. This behavior indicates a dog who is perhaps frustrated with his handler. Dogs need to know where to go much earlier than we think, and the nipping/biting herding behavior is usually a dog saying, "TELL ME WHERE TO GO!!" It's often a sign that the handler isn't handling well.

The good news is that time will fix this. As you learn how to handle, this behavior will improve. You do need to address it though. I can't tell you exactly how because I do not know your dog. Is your dog soft? Is he tough? Will he wilt with correction or not? Often many trainers deal with this by stopping all fun when it occurs. This is a good method for most dogs. You're running and your dog turns and nips at you. Puf. All fun stops. You stand stock still, don't move, slump your shoulders and act really, really bored. Often you don't need to say anything. He may bite more in frustration, but just hold your boring stance. I'd hold this for a minute or so after he's quit biting. Then, I'd ask him if he'd like to try again and go back to work.

For a while, you'll be doing nothing but standing around until he realizes that the fun only occurs if he's behaving himself.

This, however, does not work for all dogs, and a stronger method must be applied. The problem is a stronger punishment can shut down a dog, and I don't know if your dog can handle that or not. I'd try the "stop all fun and be really, really dull" method first and see if that doesn't help. You have to do it 100 percent of the time for it to work, so be consistent!!

Don't give up. You are mentioning such common issues I see in teams all the time, and those that continue are often the MACH teams we cheer for in only a few years.

Here are a few other articles you may wish to read that can help you.

I don't know your trainer. He or she may be awesome, or you may find a change is in order. Here's an article to get you thinking. It may build confidence in you for the trainer you have.

This article was written for the 2013 Nationals Competitors, but I think you can apply it to your team. You guys CAN do this. The fact that you went to the internet for help proves you are determined. Grab that determination, dream big and go for it!!

Good luck as you continue to play in agility. This sport is never easy and is always a roller coaster, but if it were easy, we wouldn't be doing it!!

Maryorcs on October 14, 2013:

Hi, After a very demoralizing agility trial this weekend with my two year old border collie I went on line to see if I could find some answers as to why it was so awful. Your article said it all. I felt pressured by trainers, family, and myself to sign up and have fun with my dog when I felt very ill prepared and knew my dog was as unprepared as I was. I've been off and on training for about a year and am totally new to the sport. I also agree with you that a many of the teams at this trial were woefully undertrained, which resulted in the perverse reaction from me " At least my dog isn't running around the ring like a crazy thing or running off with the cones!" No, my dog herded and bit my feet during every run--how I got one Q I'll never know! He did sniff, wouldn't sit/stay ( he doesn't do that in practice much either), or look at me, so I'm presuming the biting is also part of stress behavior.? He does this at our home when we are outside and he's excited. He also does it sometimes in practice. Do I treat this behavior differently from the other stress behaviors ie he sniffs and acts uninterested with me at agility practice sometimes too. Any advise would be appreciated. I realize we do not have a strong foundation and thus are both lacking confidence. However, your article has given me hope that we can be a successful agility team one day. Thanks again for a great article.

Kristin Kaldahl (author) on May 23, 2013:

Thank you for dropping by!!! You pointed out something important that's not in the article. You can train your dog to be ready for the ring and save a lot of money by Qing through the ranks quickly rather than spending hundreds and hundreds of dollars on NQs and ring-wise issues. :) And I also agree that some areas have a culture of showing dogs early and other areas do not. Obrigado por seu comentário. :D

eileenanddogs on May 23, 2013:

Beautiful article. Whether one's dog is old, young, herding breed or not, and whatever the circumstances of the handler, it should be about the dog not just being OK with it but thrilled to be out there with you, not to mention having the skillset. My first teachers encouraged all their students to get out and compete way too early; it's part of the culture around here. I have seen so many miserable and confused dogs. After the first go round I found a better teacher who is a total advocate for the dog. We had been practicing for four years before we competed in AKC. My dog, an unlikely agility prospect, runs fast and happy. I progressed more quickly with my second dog and started competing in two years. Both breezed through Novice and with about 90% Q rate and nothing but first places, with faster times than the B dogs. Open is going the same way. So I get my reinforcement, too. I really wonder about the hurry. Thanks for spelling it out. http://eileenanddogs.com

Kristin Kaldahl (author) on April 01, 2013:

I had to learn how to use the nerves or let them eat me up. Now if I'm not nervous, I'm not on my toes. If I'm not nervous, I actually look around to see who's watching to make myself nervous. I use the "fight or flight" feeling to fight. :) It took awhile for me to learn how to do that though!

Barbara Fitzgerald from Georgia on April 01, 2013:

Eu sei; I thought I would pass out from dizziness at my first herding event. I was so keyed-up; I wanted everything to go perfectly or at least to qualify; I thought I might have some kind of attack! Same thing for my first conformation shows. I thought I might have a heart attack, and everyone would laugh at the crazy lady who died over being nervous about nothing. lol

Kristin Kaldahl (author) on April 01, 2013:

Thank you Solarias. :) Yes, at a local trial this weekend I saw the same thing. It's all about having fun, and if neither teammate is having fun, more practice is needed. People get so antsy to start their dogs way before they are ready. It is frustrating to watch.

Barbara Fitzgerald from Georgia on April 01, 2013:

Thumbs up - Useful and Interesting! I was at an agility match a few weeks ago as a spectator, and saw many of the signs of not ready for prime time that you describe. I felt sorry for both the dogs and the owners; they left the ring frustrated and not enjoying each others' company.

Kristin Kaldahl (author) on February 27, 2013:

I, personally, think there are great advantages to starting with an older dog as your first dog in agility. You can make your newbie mistakes on him, and you can learn how to handle on him. Then, when you have an understanding of the sport, you can start your next pup knowing more of how the training process and puzzle works.

It takes years, though, to fully understand this sport. One of the joys of teaching agility is to have my handlers come back to me after five or more years of training with me and trialing and say, "You know, after I'd been in this sport for about three years, I thought I knew it well. I'm learning that I'm only now discovering it."

Also, you briefly mention that people should be trialing while still taking classes and seminars. OF COURSE!!! LOL. You should be taking classes and seminars for the life of your agility dog!! It's how you continue to grow in the sport. My students come to me as newbies and stay with me through the careers of their dogs - all the way to National Championships or World Team tryouts. The training NEVER ends, and neither should classes, seminars, etc.

You have so much ahead of you in this sport. You're going to love learning and growing. It's a new sport, so it's constantly changing. Every few years, the sport undergoes a major change. It's so much fun to "keep up" and learn new things.

Also, I would say that my article never says I expect "perfection" in the ring from the new dogs. In fact, my article says just the opposite. I do expect my novice dogs and handlers to be proficient to the Excellent/Masters level courses in practice before entering the ring, but that does not indicate "perfection." As you progress through the sport, you will understand.

You also might be interested in a hub I wrote on being competitive..a word that is almost always used incorrectly. For many people, competing against themselves is what keeps this sport fun and exciting throughout a dog's career. And, no, perfection is never, ever reached - except in very small moments.

Continue to have fun in this sport. It is a beautiful, constantly challenging sport, which is only part of what makes it so much fun. The best part of the sport is the hours spent with your dog training, IMO. :)

(The hub on being competitive is at https://agilitymach.hubpages.com/hub/When-It-Comes...

Bre on February 27, 2013:

I think I see now the point you're trying to make. My viewpoint is a little different since I'm starting with an older dog and he's my first agility dog. I started doing agility, first and foremost, to have fun with my dog (as most competitors at any level would probably say), but I also just enjoy training my dog. I love to see him make the connection between what I've rewarded in the past and what he's currently doing. I knew coming into this that we would never be as competitive as some other beginner teams, simply because of my dogs age. Yes, Papillons can live a long time, but he already sees a chiropractor for some minor joint issues, and I trial him in preferred so he can jump 8 instead of 12. As soon as he seems like hes no longer enjoying it or he seems to be in pain, we'll stop and I'll be perfectly happy with him regardless of whether or not we're trialing anymore.

I still think some dogs don't need as much straight agility training to be successful. Herding dogs or dogs that compete in obedience are already really in tune with their handlers and already know how to learn. That's not to say they won't have their own individual issues-but these dogs have a much better basis to start off with than a house dog who has only ever been to basic family manners classes. In my mind, it would follow that those dogs with more training to begin with won't need to spend as much time learning to work with their handler as will a dog who is just learning the process of shaping.

Like you said, we'll see as I get older. But right now, I don't see why you can't start in lower level trials while still training and taking classes/seminars/etc. As long as the dog and handler enjoy themselves, I don't think they have to be perfect to learn that agility is fun. I think it can also be a good learning experience.

For example: I watched a woman with her JRT this past weekend compete in novice all three days. The first day her JRT took the first three obstacles with her and then lost all focus and started zooming (because of nerves or whatever). She realized she had asked too much of him. Her second class that day she set him up to take the first three obstacles that were in his path (not the correct course, but the obstacles she indicated). And as soon as he successfully stayed with her for those three she celebrated and he jumped into her arms. The second day she tried for five obstacles (not necessarily the correct course, but the obstacles she indicated) and the last day she got eight obstacles (on the correct course and what she indicated). I've seen this dog at show and go's be very successful on harder courses than the novice courses that weekend. But the dog didn't have much experience in the trial atmosphere so she decided to set her dog up for success and even though she never finished a course she made a lot of progress and she and her dog learned a lot.

To wrap this up: I've learned a lot since starting agility training/trialing, and I will definitely do some things differently with my next dog-mostly because I'll be starting with a young dog who I know will (hopefully) have a long career ahead of him/her. I'll definitely work more on distance control, handling maneuvers on the flat, and getting the dog used to the trial atmosphere early in life so he/she is comfortable in a more stressful environment. There are a few things I won't change though, I'll still approach this as something fun for my dog-if for some reason the dog just truly doesn't enjoy it, then we'll find something else to do together-and I'll probably start looking for another dog because the agility bug has bitten me! :-)

Obrigado pelo feedback!

Kristin Kaldahl (author) on February 26, 2013:

A lot of beginners feel the way you do, which is exactly why I wrote this piece. :) After 15 years in this sport, I have seen team after team reach Excellent and fall away, unable to complete their journey because they didn't get the proper, solid foundation skills on their team. This article isn't intended to "scare" people away from the sport, but prepare them so they don't become victims of poor foundation skills later. That's where a lot of teams quit the sport.

Yes, you can get your Novice and Open titles pretty easily without the proper foundation skills. I've even seen teams with poor foundation skills get their Excellent AND Masters titles. And I've seen teams lacking foundations do well in titling venues that aren't as competitive. But almost all of them hit the wall if they attempt to reach the higher titles in some of the more difficult venues or classes.

If a novice title is all you are interested in, that is fantastic!! There's nothing wrong with that. Then you can go into the ring without the strong foundation skills necessary for long-term competition. However, if a team desires more out of themselves, then more must be given at the beginning of their training. And fortunately, age in agility isn't a consideration as most of the agility competitors are older, and as one of those older competitors, I'm sure glad for that!!

I applaud you for commenting as I know there are several who disagree with this article but did not have the courage to comment. And, I encourage you to continue in agility and have fun. After all, that is the main goal of the sport!! And when you've earned your MACH or ADCH, come back and let us know what you think. You may have the same feelings, or they may have changed. :)

PS - I just published another article about pushing through barriers and achieving your dreams. It fits a bit with this article and concept. You might find it interesting. It's at https://agilitymach.hubpages.com/hub/A-Letter-to-A...

Bre on February 26, 2013:

My almost 9 year old Papillon and I competed in our first AKC trial this past weekend. We've done TDAA and CPE once each in the past few months so we had a little experience. I think it really depends on the dog for when you start trialing. I don't think you can generalized and say at least X amount of time. I started Rally training in the November of 2011, we did our first trial in March of 2o12 (all trained at home, btw). I started agility training in September of 2012 and we did our first trial in December of 2012. Since my dog was already older and has been learning tricks his entire life he already knew how to work with me and vice versa. For us a few months was plenty of time to learn the rules, get independent obstacle performance (including 6 weaves) and run Masters/Excellent level courses successfully at show and go's.

I think it also depends on the handler though, I'm only 23 and can easily keep up with/stay ahead of my dog so I don't have to worry about having as much distance control as other handlers might. That's not to say my dog can't work at a distance, but he doesn't always have to.

I'm definitely a novice and it's just my opinion, but I'd hate for someone to lose interest in the sport just because they're being told they have to wait a certain amount of time before trialing.

Kristin Kaldahl (author) on February 10, 2013:

Congrats to you and Mya for your hard work before entering the ring with confidence!!! May you have many happy agility years together. :)

1doggeek on February 10, 2013:

LOVE this! I attended my first AKC trial with Mya this fall, after 4 solid years of training an 4-H competing. I was shocked by the level of training these dogs had - even in advanced levels, many couldn't hold a stay or follow direction easily. There wasn't even a competition between Mya and the rest of the class - we easily took 1st in all 4 Novice classes that weekend simply because of our ability to execute many different handling options and to be confident in our choices.

Kristin Kaldahl (author) em 07 de fevereiro de 2013:

Thanks wetnosedogs. :) I'm fast running out of videos I haven't used before though. I'm thinking I need to take more video footage at trials. Thanks for dropping by!!

wetnosedogs from Alabama on February 07, 2013:

I always enjoy your videos. What a great exercise both you and Asher get. Great going.

Kristin Kaldahl (author) em 07 de fevereiro de 2013:

Thank you tillsontitan!!! I appreciate the votes. :) Yes, attending agility classes does leave life-long benefits outside of agility. The dogs learn to read out body language, and we theirs. Congrats for going to classes with your min pin. Thanks for dropping by.

Mary Craig from New York on February 07, 2013:

I really enjoyed this hub. My Min Pin and I attended agility classes but we never got to the competition stage. The benefits of those classes though are life-long. We are closer and he is more responsive, I believe, because of those classes.

I like your insight and beliefs and have to say your sheltie was amazing!

Voted up, useful, and interesting.


Doggy Dan Review: How Good is the Program Really?

This post may contain affiliate links. I receive a small amount of compensation (at no cost to you) when you purchase from my links, which I’ll totally blow on stuff for my dogs, y’all! You can read my full disclosure here.

There are literally hundreds of online dog training programs. Some are better than others and some are downright dangerous.

Today I'm going to share my Doggy Dan review with you. It's a very popular product and it's selling very well online.

But does that mean it's a good program?

I don't personally recommend Doggy Dan's program. But I highly recommend alternatives. Use the navigation below to find out more.

This Doggy Dan review is over 2000 words in length. It's probably the longest Doggy Dan review out there.

If you're serious about doing right by your dog – Get your favorite drink, turn your phone on silent and read this review from top to bottom.

So, I've shared reviews of some other online dog training programs too. I've bought and evaluated these too.

And to make it easy for you, I've given my recommendations in the box below.

My Doggy Dan Review journey started out like this…

I signed up as an affiliate for this program and was afforded 5 days of full access to the member's area and all the training material. This review is an unbiased look at what's inside…

All the reviews about the Doggy Dan program are glowing and recommend buying the product.

And of course, most claim to have used the program to train their unruly dogs. I must be honest, I have my doubts about that…

The reviews mainly focus on aspects like ease of use, price, and customer support. All these things are important, but not more than the training style itself.

That's the thing that makes or breaks a training program – well, in my opinion anyway.

But for the sake of completeness, I'll quickly give details on these…


What is CGC?

At the AKC, we believe that all dogs can be good dogs, and all owners can be great owners: all it takes is a little bit of training, lots of love, and of course, plenty of praise along the way.

That’s why we created the Canine Good Citizen™ (CGC) program: a two-part course designed to help you and your dog be the best you can be–together. Since 1989, over 1 million dogs and their owners have participated in CGC, mastering ten basic skills that instill confidence and good manners in and out of your home.

Not only does CGC training create long-lasting trust between you and your pup, but also ensures you’ll be good neighbors and friends to everyone around you—and, if you’re interested in going beyond the basics, CGC also lays the foundation for other AKC sports and activities like obedience, agility, tracking, and performance events.


Tired Dog? Good. Overtired Dog?. . . Not so Good.

I can’t begin to count the number of times I’ve heard “A tired dog is a good dog.†We all know the point is that under-exercised dogs often get themselves into trouble… chewing, pacing, or pondering ways to get online and order dog toys with your credit card. True, as far as it goes (except perhaps the online part). However, I also can’t count the number of times a client came in with a tragic story about the “best dog in the world†who snarled/lunged/bit at a child/neighbor/other dog after a long day at the dog park/picnic/family reunion.

The fact is that dogs can become sobre tired, just as we can. And just like us, dogs can lose their ability to be their “best self†when that happens. There’s no reason we should be surprised at this, but the concept often seems to surprise people, even those who deeply love their dogs and care for them in a multitude of ways.

Some situations seem obvious, once we acknowledge that even the best dog can lose patience if it is tired enough. For example, say a dog has been at a family picnic for three hours. Imagine lots of little children playing, screaming with joy and excitement, uncles who throw the ball five times longer than the dog is used to, lots of petting, requests for tricks, etc. Dinner is over, everyone is talking and enjoying the sunset. . . This is when I want someone to take that dear, patient dog and put her into a back room to sleep, or into the crate in the car, or wherever she will get some quiet time, BEFORE the three-year old crawls under the picnic table and grabs her head in his hands.

This knowledge that dogs too lose patience and self control when tired is more than common sense. There is some solid research to back up our experiences with over tired dogs: See, for example, the research on Self control depletion that shows both people and dogs have a limited amount of energy to control their impulses.

Other situations are not always so obvious. Here’s an example from my own dogs: Recently I was working Maggie at a friend’s, and after just a few minutes of work she began mixing up her “go right†and “go left†whistle signals. I said “She does that when she’s tired,†and my friend and sheepdog trainer, someone with lots of experience, said “But she hasn’t worked that long, she couldn’t be tired.†At first I answered that she’d lost condition when I was away, but it’s not just being physically tired that depletes Maggie’s ability to simultaneously focus on the sheep and respond and respond to my signals. That’s a kind of multi-tasking that all sheepdogs have to learn to do, but it takes a lot of mental energy when you’re throwing signals at them every few seconds, when a dog can tire out quickly. Maggie has improved a great deal, but she still gets confused on her whistles after practicing precision driving for awhile (and thus lots of directional signals, or “flanks†as they are called), and I’m learning to switch to verbal signals when I think she might be mentally overwhelmed. (Whistle signals are easier to hear from a distance, but have been harder for Maggie to learn than verbal ones. That’s not true for all dogs, it’s just true for her.)

I gave that example because I think there are many situations in which dogs don’t behave up to our expectations because they are over tired–whether physically or mentally. Many examples are obvious once one learns to consider the dog’s energy level, like a dog at a noisy, busy picnic. But others are not so clear, and I suspect that the more we all read about contexts in which a dog’s energy level interfered with being his or her “best self,†the better we’ll be at sympathizing and helping the dog through it, rather than getting angry because the dog was “disobedient.†Or heaven forbid, “being dominant.†Please add in your stories and examples from your own dogs–the more the better. I look forward to hearing from you about your own experiences. (Hey, why limit yourself to dogs? How about times you were over tired and. . . )

MEANWHILE, back on the farm: Back again from being away at Maggie’s last sheepdog trial of the summer. And my how timely, given the topic of the post above–Is my being tired from my nasty chest cold a good excuse for sending Maggie through the WRONG panels on the first leg of her drive after a darned near perfect outrun, lift and gather (47/50 points)? Ah, my, well, let’s use that as an excuse. Once I realized my mistake, we both were discombobulated, but I was pleased that the two of us eventually managed to pull ourselves together and she did a pretty nice cross drive and was finishing the drive when we ran out of time. The good news is that I know we have to work on this winter: My brain being engaged while running the course, Maggie listening under pressure on the drive, and learning that she can shift rude, pushy sheep.

One of the reasons I trial is because it forces me to get better at doing something I love, but another reason is because it’s often just so flat out beautiful. Here’s one of the competitors moving sheep back onto the main part of the course. It was a tad chilly, but overall it was a gorgeous fall weekend. Thank you Margaret, Pattie, Gordon and all for putting on another great trial.

Here’s from the farm this afternoon–look how big the lambs are! That’s Lady Baa Baa on the left, and her two lambs in her right. The handsome lunker in the middle is her ram lamb.


What length dog training lead should I buy?

What is the best length of long-line? This depends on what you plan on using the long-line for (more on that, below!).

If you intend to use the long-line:
– to practise recalls
– to provide you with more control whilst your dog is free-running
– for gundog training

I’d recommend a 10m long-line. Any shorter and your dog can’t get far enough away from you. Any longer and the line becomes unwieldy to manage.

If you intend to use the long-line:
– with a reactive dog
– for BAT set-ups (Behaviour Adjustment Training) (see below)

Then I recommend a 5m long-line. For these purposes, you want to be able to hold the whole leash in your hands, letting it out and taking it in as needed by the dog. Any shorter and your dog can’t move around freely enough. Any longer and you won’t be able to hold it all.


Wizard101 offers an online Wizard game set in the magical Wizard school, Ravenwood Academy. Players of all ages set off on fun quests to save Wizard City from evil forces and collect magic cards to duel their enemies in the game worlds.

Explore magical game pets, new worlds and much more with our online Wizard games!

Wizard101 opens a magical world of fun gameplay and adventure. Collect cool creatures to train in fun mini pet games, and win awesome gear from tough boss battles. Wizards can learn spells, fight monsters, and make friends for free in the magic Wizard games world of Wizard City!

Enjoy gardening or decorating? Choose from different beautiful castles to decorate or grow magical garden creations. You can watch your playful game pets dance and romp around your castle when you retreat from a long day of fighting monsters.

Download for free today and join the wonderful world of Wizard games online.

© 2013 KingsIsle Entertainment, Inc. All Rights Reserved


Assista o vídeo: AGILIDADE (Agosto 2021).