Em formação

Como saber se seu cachorro tem displasia de quadril


Kate é uma ex-assistente de veterinária há cinco anos. Ela mantém uma paixão por treinar e cuidar de cães de todos os tipos.

O que é displasia do quadril?

De parceiros de exercícios a companheiros de sono, a companheiros apaixonados, até mesmo a aquecedores de pés confiáveis ​​- nossos cães são membros insubstituíveis de nossas famílias. É por isso que é importante protegermos seu bem-estar e nos informar sobre os riscos à saúde que eles podem enfrentar.

A displasia do quadril é um desses riscos. É um distúrbio esquelético que afeta a bola, a cavidade e os músculos ao redor dos quadris do seu cão. À medida que avança, pode se tornar uma fonte de sofrimento e dor para seu amado animal de estimação que, vamos enfrentá-lo, é uma fonte de sofrimento e dor para você e para mim. Felizmente, munido de um pouco de conhecimento e visão, você pode reconhecer os primeiros sinais dessa condição e manter seu cão mais saudável e feliz por mais tempo.

O que causa a condição em cães?

Embora alguns fatores ambientais, como peso e hábitos de exercício, possam afetar a predileção do seu cão por displasia de quadril, geralmente é causada por fatores genéticos. Certas raças, especialmente as maiores, como São Bernardo ou Pastores Alemães, são mais propensas a desenvolver problemas nos quadris. Infelizmente, a condição também aparece em raças menores, como Pugs e Buldogues Franceses.

Para simplificar, a displasia do quadril é um encaixe incorreto entre a bola ou a cabeça do fêmur e o encaixe em que se encaixa. Normalmente, os dois ossos se unem suavemente, como peças de um quebra-cabeça. A displasia do quadril é caracterizada por um encaixe inadequado do osso e do encaixe e frouxidão na articulação, o que causa estresse ao longo do tempo.

Eventualmente, o alvéolo se alarga e começa a se achatar, enquanto a extremidade do fêmur fica maior. A irritação contínua piora a situação e a condição continua a piorar, causando cada vez mais dor em seu cão. Embora essa condição geralmente se desenvolva com o tempo e seja mais provável de afetar, ou pelo menos se apresentar, em cães mais velhos, os filhotes também podem apresentar sintomas.

Os primeiros sinais de problemas nas articulações do quadril

Existem vários sinais de que seu cão pode ter o início de displasia da anca. Isso não quer dizer que esses sintomas não possam ser um sinal de outra coisa. A melhor regra a seguir quando se trata de seu animal de estimação é que se você notar qualquer um dos seguintes sinais por mais de alguns dias, leve-o ao veterinário para que possa começar a descartar qualquer coisa. Aqui estão alguns sinais possíveis de que seu cão pode estar sentindo dor no quadril:

  • Uma aversão a escalar e pular. Se o seu cachorro está evitando as escadas, parece relutante em pular no sofá com você para uma festa de aconchego da Netflix ou hesita antes de pular no carro para seu passeio semanal até a In-N-Out, então pode ser porque ela dor.
  • "Bunny Hopping". Pular de coelho é exatamente o que parece. Nome bonito, mas não uma situação muito bonita. Imagine um coelho pulando, com as duas patas traseiras movendo-se em uníssono. Um cão que sente os efeitos da displasia da anca pode mover-se assim para evitar a dor causada por um andar normal.
  • Relutância em se levantar. Se seu cão parece preguiçoso e relutante em se levantar depois de ficar deitado no mesmo lugar por um tempo, não culpe apenas a velhice. Se não for um comportamento típico de seu cão, pode ser um sinal de displasia de quadril ou outra condição que precisa ser verificada pelo seu veterinário.
  • Falta de atividade. Os cães mais velhos diminuem o ritmo naturalmente. não todos nós? Se essa desaceleração parece estar acontecendo prematuramente, é necessário chamar o veterinário. Os cães sabem quando o movimento é a raiz do desconforto que estão sentindo e o evitarão.
  • Claudicação ou juntas rígidas. Quando um cachorro está andando mancando nas patas traseiras, seja intermitente ou contínuo, pode ser um sinal de que o problema está se formando. Além de mancar, um andar não natural e com as pernas rígidas também pode indicar que há um problema.
  • Uma mudança no tom muscular. A displasia do quadril pode fazer com que os músculos da coxa diminuam à medida que o trabalho de movimentação cai mais rapidamente para as pernas dianteiras, menos sensíveis. Por outro lado, os ombros podem começar a aumentar, pois esses músculos desempenham um papel maior no movimento.
  • Um som de clique ou rangido. Às vezes, você pode realmente ouvir o clique das juntas danificadas / defeituosas.
  • Dor óbvia. Você sabe quando seu animal de estimação está sofrendo. Ela pode pular quando seus quadris são tocados ou até mesmo se esquivar de sua mão quando você estende a mão para acariciá-la. Se o seu cão não costuma ficar rosnando e mal-humorado e repentinamente se tornou agressivo, pode ser um sinal de que ele está se sentindo protetor com o espaço porque está com dor.
  • Uma postura estreita. Se as patas traseiras do seu cão estão plantadas no chão mais próximas do que antes, isso pode estar dizendo a você que a postura anterior, mais ampla, agora é dolorosa.

Seu cão pode apresentar uma série desses sintomas, ou você pode ver apenas um ou dois em seus maneirismos. É sempre melhor errar por excesso de cautela e conversar com seu veterinário sobre os novos sintomas do seu cão.

Filhotes podem ter displasia de quadril?

Sim eles podem. Lembre-se de que essa é geralmente uma condição genética com algumas influências ambientais. Ser genético significa que pode realmente estar presente em uma idade precoce e é possível que um filhote tenha displasia de quadril e não tenha nenhum sintoma revelador. Por esse motivo, é fundamental agendar exames regulares.

Somente um médico treinado pode dizer se há ou haverá um problema. Se você descobrir que seu cachorro tem essa condição, não entre em pânico. Com intervenção precoce, cuidados adequados e uma dieta saudável, seu filhote poderá ter uma vida feliz e confortável.

Prevenção da displasia do quadril

Se você está preocupado com o risco de seu cão ter displasia de quadril, aqui estão algumas dicas para evitá-lo.

  • Alimente seu cão com uma dieta de alta qualidade (e não superalimente): Certifique-se de alimentar o seu cão com comida que não esteja carregada de calorias vazias. A obesidade pode agravar os problemas nos quadris. Se você não tiver certeza de qual tipo de alimento é melhor para o seu cão, pergunte ao consultório do seu veterinário o que eles recomendam com base na raça, no peso atual e na idade do seu cão.
  • Exercite seu cão: O exercício é importante, mas o exercício extenuante pode irritar as articulações já cansadas e nenhum exercício pode levar à obesidade e à falta de suporte muscular. Levar seu companheiro canino para uma caminhada curta, digamos, 5-10 minutos após cada refeição é uma boa maneira de ambos fazerem alguns exercícios leves e um pouco de ar fresco também!
  • Faça regras e as aplique: O estabelecimento de regras e expectativas específicas que salvaguardem as articulações do seu cão terá retorno mais tarde. Se o seu cão não tem o hábito de pular sobre as pessoas, ou galopar em selvagem abandono, quando as articulações ficarem mais frágeis, ele já se comportará de uma maneira que não as danificará.

Opções de tratamento para seu filhote

Se seu cão for diagnosticado com displasia de quadril, você e seu veterinário irão discutir quais opções de tratamento funcionarão melhor para você e para a rotina diária de seu cão e elas podem incluir:

  • Um regime de perda de peso que inclui uma dieta saudável e exercícios moderados, como uma caminhada de dez minutos após o jantar em terreno plano.
  • Fisioterapia
  • Medicamentos, incluindo medicamentos antiinflamatórios que ajudarão a reduzir a dor e o inchaço do seu cão.
  • Cirurgia, que pode incluir uma artroplastia de quadril.

Dr. Anthony Cambridge explica como reconhecer a displasia do quadril em seu cão

© 2018 Kate Stroud


Tratamento domiciliar de displasia de quadril canino

Você pode estar se perguntando: "O que posso dar ao meu cachorro para dores no quadril?" considerando que a displasia do quadril é inevitável. Seu veterinário irá recomendar suplementos para articulações e quadril para o alívio da dor do quadril do cão. Escolha a marca certa que fornecerá os suplementos necessários, mas com um sabor que seu cão também vai adorar. Embora haja muitos suplementos para mastigar no mercado, poucos podem realmente economizar muito dinheiro. A maioria desses suplementos pode prejudicar seriamente o seu orçamento, especialmente quando é necessário um mínimo de 6 mastigações por dia!

Pawstruck Natural Hip and Joint Supplement exigiria apenas 1-2 mastigações por dia. Isso porque não economizamos em ingredientes naturais de alta qualidade. Nossos mastigáveis ​​são embalados com componentes como glucosamina, condroitina, MSM (usado no tratamento da osteoartrite), Boswellia serrata e, o mais importante, EPA e DHA.

Você sabia que os cães, como os humanos, não são capazes de produzir EPA e DHA? Esses dois componentes do ácido graxo ômega 3 também devem fazer parte de sua dieta. EPA e DHA são essenciais para a dieta de um cão, especialmente aqueles que sofrem de dor no quadril do cão.

O óleo de cânhamo para cães e gatos é outro analgésico do quadril feito com ingredientes totalmente naturais e de alta qualidade. É um remédio homeopático para cães que sofrem de dores devido à osteoartrite, rigidez das articulações e displasia da anca. E se o seu amigo peludo está estressado e ansioso, algumas gotas misturadas à comida ou guloseimas irão aliviar sua ansiedade.


Tudo o que você precisa saber sobre displasia de quadril em cães

pela Dra. Pippa Elliott 30 de outubro de 2020 9 min de leitura

A displasia do quadril é uma condição comum nas articulações que pode afetar profundamente nossos companheiros caninos. Por causar tanto desconforto a cada passo que nossos cães dão, a condição tem o poder de alterar verdadeiramente a vida de um cão. Então, o que exatamente é displasia de quadril e como você pode ajudar a controlar a condição?

Neste artigo, vamos nos aprofundar nos detalhes da displasia de quadril em cães e ajudá-lo a entender como você pode oferecer conforto ao seu cão durante a doença.


Tratamento

Não há cura para a displasia da anca, é uma doença progressiva, que causa dor e imobilidade ao seu cão. Mas são tratamentos eficazes que ajudarão a aliviar a dor do seu cão.

Medicamentos antiinflamatórios ou suplementos para articulações. Isso proporciona alívio da dor e evita maiores danos ao seu cão.

Dependendo da idade, tamanho e estilo de vida do seu cão, em casos graves de displasia da anca, o seu cão pode necessitar de cirurgia. Existem vários tratamentos cirúrgicos disponíveis, dependendo de quão grave é a displasia da anca do seu cão.

O tratamento mais importante que você pode dar ao seu cão é

  • Mantenha uma dieta saudável para seu cão, pois seu cão com um peso saudável irá minimizar os danos aos quadris
  • O exercício regular do seu cão irá fortalecer os músculos e prevenir a degeneração. Certifique-se de não exercitar muito seu cão, isso pode causar danos musculares e articulares
  • A natação é boa para o seu cão, ajuda a fortalecer os músculos das nádegas, que sustentam a articulação do quadril
  • Ter uma tigela elevada de comida e água ajudará seu cão a não se curvar demais. Além disso, usar um arnês de apoio durante uma caminhada ajudará seu cão
  • Dar ao seu cão uma cama ortopédica ajudará o seu cão a ter um descanso confortável. Este tipo de cama reduz a dor nas articulações e músculos do seu cão
  • Cuidado e atenção


Displasia do quadril em cães: 11 dicas para lidar com ela

Seu pobre cachorrinho acabou de fazer um diagnóstico de displasia de quadril. E agora?

Em primeiro lugar, o que isso significa? A displasia da anca canina é uma malformação do desenvolvimento tipicamente observada em cães de raças grandes, como os pastores alemães. Ocorre quando as porções da bola e do soquete da articulação do quadril não se encontram corretamente. Assim, em vez de deslizar suavemente, a articulação do quadril range e range, causando dor e problemas de mobilidade para seu cão.

Quando visitar o seu veterinário
Como a displasia do quadril em cães é uma doença hereditária, a reprodução seletiva é o único método de prevenção real. De acordo com a Dra. Karen Becker, veterinária e especialista em cuidados com animais de estimação da Mercola Healthy Pets, a identificação precoce é crucial. Se você tem um cão em risco, ela recomenda raios-X para ter uma ideia de como são os quadris antes de você notar os sintomas.

"Se você nunca teve seu pastor alemão radiografado e ele começa a mancar ou a diminuir suas caminhadas, leve-o ao veterinário imediatamente. Quanto mais cedo você conseguir esse diagnóstico, mais cedo poderá começar a aliviar alguns dos efeitos, " ela diz.

Embora não haja cura para a displasia do quadril, se seu cão já recebeu um diagnóstico, existem coisas que você pode fazer para aliviar o impacto. A Dra. Carrie Fleming Schuler, veterinária e coproprietária do Northwest Neighbourhood Veterinary Hospital, em Portland, Oregon, diz: "Uma vez que um cão é identificado com displasia de quadril, a prevenção e o abrandamento da artrite se tornam o objetivo." O Dr. Becker concorda: "Queremos fazer tudo o que pudermos para diminuir a probabilidade de displasia do quadril criar problemas de qualidade de vida para o seu cão."

Aqui estão algumas dicas para lidar com a displasia do quadril em cães:

  1. Diminuir a intensidade
    Dr. Schuler recomenda fornecer exercícios diários de baixo impacto, como caminhadas com guia lenta ou natação.
  2. Mantenha os quilos baixos
    Mantenha o peso do seu cão. Peso extra é igual a tensão extra nas articulações.
  3. Fique aconchegante
    Mantenha seu cão aquecido durante o tempo mais frio (com um suéter ou casaco e roupa de cama extra, por exemplo) para reduzir a dor artrítica nos meses de inverno.
  4. Faça a vida doméstica perfeita
    Fornece uma área de dormir macia, como uma cama de espuma ortopédica. Coloque tapetes no chão escorregadio para ajudar seu cão a evitar escorregões e quedas.
  5. Evite as escadas
    Utilize rampas para ajudar seu cão a evitar subir escadas sempre que possível.
  6. Pense fora doVet's Office
    A mobilidade do seu cão pode se beneficiar da fisioterapia, incluindo alongamento e hidroterapia. Algumas abordagens holísticas, como acupuntura e acupressão, podem tornar o gerenciamento da dor e a mobilidade mais fáceis.
  7. Encontre o melhor remédio
    Dr. Becker recomenda dar suplementos protetores da cartilagem, como glucosamina e sulfato de condroitina. Controle a dor quando necessário com antiinflamatórios não esteróides e narcóticos prescritos pelo seu veterinário.
  8. Aperfeiçoe a Dieta
    Alimente uma dieta saudável rica em proteínas de qualidade, ácidos graxos essenciais e antioxidantes como vitaminas C e E.
  9. Trabalhe esses músculos
    Concentre-se em exercícios de fortalecimento muscular que trabalhem os músculos dos membros posteriores, como sentar-se para ficar de pé e subir uma colina.
  10. Obtenha o toque mágico
    Massagear os músculos ao redor da região do quadril pode ajudar a aliviar algumas dores.
  11. Verifique as opções extremas
    Em casos graves de displasia da anca, especialmente em cães jovens, a cirurgia pode ser uma opção - embora cara. Consulte um veterinário antes de decidir se é adequado para o seu cão.


O que o seu dog Walker precisa saber
Ao confiar seu cão displásico aos cuidados de um passeador de cães ou babá, você deseja que o cuidador entenda a condição e as limitações físicas que ele impõe a seu animal de estimação. “Os donos devem dar ao seu caminhante do cão ou babá instruções muito claras, não apenas sobre os medicamentos (prescrições e suplementos), mas sobre o número e a duração das caminhadas”, diz o Dr. Schuler. Certifique-se de informar ao seu passeador de cães que tipo de brincadeira ele também pode fazer.

"Resumindo", diz o Dr. Becker, "o objetivo do jogo é fazer com que seu cão se sinta fantástico durante todo o tempo em que estiver em seu corpo."


Assista o vídeo: Momento Vet - Derrubando mitos sobre a Displasia Coxofemural (Junho 2021).