Em formação

Eficácia da prancha e treinamento canino


Adrienne é treinadora de cães certificada, consultora de comportamento, ex-assistente veterinária e autora de "Brain Training for Dogs".

O que é diretoria e treinamento?

Se você está procurando uma maneira rápida de treinar seu cão e descobre que não tem tempo ou habilidade para se comprometer, pode ter tropeçado em alguns programas de treinamento e tabuleiro. Os anúncios podem ser realmente chamativos, com descrições atraentes de como o treinador de cães fará todo o trabalho para você. Mas esses programas realmente funcionam? Vamos dar uma olhada em como o conselho e o treinamento funcionam, o que isso acarreta e as vantagens e desvantagens.

Alimentação e treinamento é um serviço oferecido por um treinador em que o cão é mantido durante a noite nas instalações do treinador ou em casa por um determinado período de tempo. A seguir estão alguns tipos de serviços de prancha e treinamento fornecidos por treinadores de cães.

Tipos de serviços de conselho e treinamento

  • No Home Board and Train: O cão fica na casa do treinador e passa a fazer parte da família. Isso significa que o embarque é sem gaiola. Como um cão é mantido em casa, ele aprenderá o básico da vida dentro de casa, como não fazer surf, treinar na casa e respeitar os limites invisíveis. Nesse ínterim, o cão pode aprender modos básicos, modificação de comportamento e realizar um programa de exercícios com caminhadas diárias, brincadeiras em área cercada e socialização com outros cães. Muitos programas de alimentação e treinamento exigem uma estadia mínima de 2 semanas, mas alguns oferecem uma semana se apenas um curso básico de atualização for necessário.
  • Placa e trem do canil: Ao contrário da placa de casa e do trem, a placa do canil e o trem mantêm o cão do lado de fora em um canil onde provavelmente outros cães também estão hospedados. O cão geralmente é mantido no canil quando não é treinado ou levado para fazer exercícios. Embora a pensão e o trem sejam preferíveis, a pensão e o trem do canil são melhores do que o embarque regular, onde os cães costumam ser mantidos dentro do canil o dia todo ou talvez sejam dados um passeio de 15 minutos uma vez por dia (o que exige uma taxa).

Quais serviços são oferecidos em programas de conselho e treinamento?

  • Treinamento básico: Os serviços mais comuns são obviamente o treinamento. Os cães de embarque costumam aprender comandos básicos como sentar, sentar, ficar, calar, vir e me observar. Muitas vezes, os problemas de comportamento são abordados e os cães também são ensinados a parar de pular, parar de puxar a coleira, correr porta afora, contra-surfar, etc. Em certas circunstâncias, os treinadores lançam alguns comandos úteis extras, como deixá-lo, largá-lo e até mesmo alguns truques.
  • Modificação comportamental: Alguns centros de treinamento de cães também tratam de problemas graves de comportamento, como agressão, ansiedade e outros problemas de comportamento. Durante a permanência do cão, o cão é normalmente exposto ao estímulo ao qual o cão é reativo, idealmente em um nível baixo de intensidade (abaixo do limite). O comportamento do cão é então alterado usando diferentes técnicas de modificação de comportamento (dessensibilização, contra-condicionamento, treinamento de ajuste de comportamento, etc.). Nota: nem todos os métodos empregados são bons, alguns treinadores podem usar inundação e outros métodos que podem corrigir o problema temporariamente ou agravar o problema. Alguns treinadores recorrem a coleiras de choque, coleiras de prong, coleiras de estrangulamento e usam métodos de treinamento baseados na coerção para obter resultados rápidos, isso é realmente errado!

Requisitos Gerais para Conselho e Treinamento

Muitos programas de bordo e trem exigem que os cães cumpram certos requisitos. A seguir estão alguns dos mais importantes:

  • Prova de vacinação (raiva, DHLPP, tosse do canil, preventivo contra dirofilariose)
  • A tosse do canil deve ser administrada com antecedência antes do embarque
  • Os cães alojados devem ter trela, coleira e etiquetas adequadas
  • O proprietário deve fornecer alimentos para evitar estresse digestivo
  • Medicamentos administrados e frequência
  • Instruções de alimentação
  • Contrato e acordos assinados

Vantagens dos programas de treinamento e tabuleiro para cães

  • Uma boa parte do treinamento foi feita para você: A bordo e no treino, o seu cão é treinado por um adestrador de cães que, com o tempo, treinará o cão para si. O cão é basicamente treinado para certos comportamentos que podem ser obediência básica ou customizados para suas necessidades. Como o treinador é experiente, as taxas de sucesso devem ser mais altas do que o dono normal de um cão. A maioria dos treinadores tem muitas técnicas na manga para garantir que o cão aprenda e, se um método não funcionar, eles podem ter outro como apoio. No entanto, é errado esperar que um cão perfeitamente treinado seja entregue à sua porta; você também terá algum trabalho a fazer (veja as desvantagens).
  • Uma possível solução quando você sair de férias: Você está saindo de férias e quer que seu cachorro aprenda algumas maneiras básicas? Uma prancha e instalação de treinamento oferecem uma situação ganha-ganha porque seu cão consegue um lugar para ficar quando você está fora da cidade enquanto aprende algo novo. Isso é melhor do que o embarque normal, onde o cão recebe pouca ou nenhuma atenção durante a maior parte do dia. Então você tem embarque e treinamento ao mesmo tempo; da mesma forma que conseguir dois pombos com uma pedra. É claro que o embarque e o treinamento serão consideravelmente mais caros do que o embarque regular.
  • Cachorro está aberto para aprender: Como o cão está em um novo ambiente e com uma nova pessoa, ele pode estar mais aberto para aprender novos hábitos - se não estiver muito ansioso por ficar longe de casa-. Como os cães têm um histórico de ensaios de comportamentos com uma determinada pessoa e em um determinado lugar, um programa de treinamento e treinamento oferece aos cães uma nova lousa em branco para começar do zero. Isso requer alguns ajustes. Por esta razão, alguns treinadores podem recomendar que não visite o cão durante o treino e alimentação, pois temem que a visão do dono possa fazer com que o cão regrida durante o treinamento ou tenha um ataque de ansiedade de separação.

Desvantagens do treinamento e do conselho canino

É claro que os programas de treinamento e treinamento têm algumas desvantagens e é muito importante que os donos de cães as conheçam para fazer uma boa escolha.

  • Os cães têm dificuldade em generalizar: Como os cães não são muito bons em generalizar comportamentos, pode haver alguns desafios em transferir o que o cão foi ensinado do treinador para o dono. Além disso, como o cão na casa do dono tem um histórico de ensaios de maus comportamentos, pode haver alguns surtos de extinção iniciais (o comportamento fica temporariamente pior do que melhor). Para remediar isso, é crucial que o treinador dê ao dono um resumo abrangente dos comportamentos ensinados antes de pegar o cão e retomar as atividades normais em casa.
  • Os proprietários têm trabalho pela frente: Para fazer com que uma prancha e um programa de treinamento sejam bem-sucedidos, o proprietário deve se comprometer a segui-la. Isso significa que, após ser informado sobre quais comandos o cão aprendeu e como implementá-los, cabe ao dono manter esses comportamentos consistentemente e ajudar o cão a generalizar para outro ambiente.
  • Não há garantias: Devido ao fato de que os cães aprendem em ritmos diferentes e ao fato de que parte do sucesso depende também do comprometimento do dono, nenhuma garantia de treinamento pode ser feita sobre o resultado do conselho e do programa de treinamento. Um bom treinador deve estar sempre à distância de um telefonema para perguntas de acompanhamento e para fornecer assistência e ajudar na generalização dos comportamentos ensinados. Alguns oferecem sessões de acompanhamento gratuitas, conforme necessário.
  • Você não vê o que acontece: Uma das maiores desvantagens de confiar em programas de treinamento e a bordo é que você não tem ideia de como o cão é tratado em sua ausência. Existem relatos de treinadores que abusam de cães sob seus cuidados. Desconfie de treinadores que usam coleiras de choque, colar de prong e coleiras de estrangulamento e sugerir treinamento "baseado em dominância" ou treinamento "alfa". Além disso, considere que alguns treinadores podem relaxar a maior parte da estadia de seu cão apenas para treiná-lo nos últimos dias para resultados rápidos. Importante: procure um treinador de reforço positivo de boa reputação que tenha boas avaliações. Peça referências. Faça seu trabalho de casa para colher as joias brilhantes de todas as maçãs podres.

Se você estiver extremamente ocupado e precisar de ajuda extra, um programa de bordo e trem pode ser útil. Simplesmente não tenha muitas expectativas. O seu cão não pode ser devolvido a você de forma realista e começar a assar biscoitos! Enfatizo isso antes de qualquer cliente se inscrever. Também preparo um DVD de como treinei o cão para que os donos vejam como isso pode ser feito e imprimem apostilas para cada comando ensinado. Isso ajuda os proprietários a perceberem que treinar seu cão intratável é realmente possível e muitas vezes os incentiva e motiva. Também dou sessões de acompanhamento gratuitas, conforme necessário. A verdade é que a maioria dos cães pode ser virtualmente treinada; mas, em última análise, cabe ao proprietário continuar a implementar o treinamento para manter todo o trabalho realizado. E lembre-se: assim como acontece com o embarque regular, lembre-se de que pode ser difícil para o seu cão nos primeiros dias, então considere os prós e os contras com muito cuidado.

Adrienne Farricelli (autora) em 07 de agosto de 2019:

Ch, há muita coisa errada com os colares de dentes e até os veterinários estão começando a apontar os danos físicos e mentais que eles podem causar.

Kim Ray em 01 de maio de 2019:

Se não há nada de errado com uma coleira de pinos, por que você não tenta ... eles são bárbaros!

CH em 30 de julho de 2018:

Não há nada de errado com os colares de pinos. Pare de ser tão ignorante.

Adrienne Farricelli (autora) em 04 de dezembro de 2012:

obrigado pela visita ao bodylevive, é bom saber que seus cães foram fáceis de treinar!

BODYLEVIVE do Alabama, EUA, em 4 de dezembro de 2012:

votado útil. Gostei do hub e você fez alguns pontos muito importantes. Pessoalmente, treinei meus próprios cães do jeito que quero que eles sejam. Tenho dois cães, Eragon é um pit bull e Squeaky um laboratório. Eles não foram difíceis de treinar.

Adrienne Farricelli (autora) em 14 de setembro de 2012:

Os cães que são treinados como cães de serviço e para outras tarefas geralmente são treinados por pessoas diferentes e mudam de "mãos" com freqüência antes de serem entregues ao seu treinador final. Vários são treinados por meio de programas de "embarcar e treinar". Os cães enviados para embarcar e treinar passam pelas mesmas emoções que qualquer cachorro que embarca quando o dono sai de férias, com a vantagem extra de receber atenção e cuidados. Pode causar algum ajuste e estresse no cão nos primeiros dias por causa do novo ambiente, mas é melhor uma prancha e um trem do que um cão correndo o risco de ser entregue a um abrigo.

Lawrence Da-vid em 02 de junho de 2012:

Tendo lidado com cães que foram criados e treinados para proteção ou obediência, considere o animal. Ele se acostumou, não importa o quão pequeno seja, ao seu ambiente imediato e às pessoas. Treinar e então devolver o animal de estimação ou o cão de trabalho ao dono causa um efeito negativo no animal. Uma vez acostumada com o chamado "líder da matilha", então ser reintroduzido em outra matilha (família) causa uma separação dolorosa por um tempo. Eu assumi o controle de animais treinados para ataque, e mudei sua possessividade adquirida com o dono / treinador anterior, deixando confusão no cão. Eu preferia, e estive diretamente envolvido no treinamento. Quando o cão cria sua atitude possessiva e é treinado pelo dono, isso cria lealdade e uma natureza superprotetora. Meu pastor, criado por nossa família e treinado conosco, responde de acordo.

Cholee Clay de Wisconsin em 02 de junho de 2012:

Você oferece ótimos prós e contras em programas de treinamento. Pessoalmente, acho que se alguém vai comprar ou comprar um filhote ou até mesmo um cão mais velho, eles mesmos devem ter tempo para treinar o filhote.

Como você disse, o aprendizado não é universal e você pode acabar com os mesmos ou mais problemas quando o filhote voltar.

Por exemplo eu faço todo o treinamento do meu cachorrinho na minha casa e por isso quando eu levo ela para a casa do meu noivo ela não se comporta tão bem porque a gente não treina muito na casa dele.

No entanto, acho que os programas de treinamento podem ser benéficos para ajudar as pessoas a começarem a treinar seus filhotes, especialmente se eles forem novos donos. Mas é sempre melhor estar envolvido no aprendizado de seus animais de estimação e continuar ensinando-lhes coisas novas. Grande centro informativo! Votado e útil!

Donna Cosmato dos EUA em 02 de junho de 2012:

Nunca ouvi falar desse tipo de treinamento, mas parece intrigante. Você fez um excelente trabalho apontando os prós e os contras para ajudar os leitores a tomar uma decisão informada. Votado!


Embarque e treine para cães reativos

Nossos programas de alimentação e treinamento são projetados exclusivamente para atender às necessidades de treinamento do seu cão. Nosso trem e placa reativa é voltado para cães que têm dificuldade em ver / conhecer outros cães, muitas vezes latindo, investindo e rosnando. Embora a prancha e os trens não sejam uma "solução mágica" para os problemas comportamentais do seu cão (porque não existem soluções mágicas!), Eles são uma ótima maneira de estabelecer uma base sólida para dar ao seu cão um pontapé inicial no treinamento.

Um dos primeiros e maiores obstáculos que enfrentamos ao trabalhar com cães reativos é que, para ser eficaz, o condutor deve primeiro aprender MUITO - limiares, linguagem corporal, habilidades de manuseio, tempo do clicker, quando, onde e como recompensar e como faça tudo isso de forma consistente em ambientes controlados. Board and Train elimina este primeiro obstáculo, pois o cão estará trabalhando, várias vezes e dias, todos os dias com o treinador-chefe Andrew Richards.

O manuseio especializado de Andrew e a capacidade de criar ambientes e cenários controlados dentro das instalações ajudarão seu cão a aprender e ganhar a confiança necessária com mais rapidez. Antes de ficar muito animado, lembre-se de que o treinamento não para no momento em que seu cão deixa as instalações.

Você precisa mantê-lo e continuar a construir sobre a base que Andrew estabeleceu para você. Por este motivo, estão incluídos no pacote Board and Train as sessões de coaching do proprietário durante a sua estadia e uma sessão de acompanhamento 2 semanas após o seu cão ter regressado a casa. Como acontece com todo o nosso treinamento, nossos métodos são baseados na ciência. Foi comprovado empiricamente que o Treinamento de Reforço Positivo ajuda a mudar e moldar o comportamento não apenas em cães, mas em todas as espécies.

Isso significa que você pode ter certeza de que nenhuma dor ou medo será infligido ao seu cão durante sua estada conosco. Ferramentas desatualizadas como prong e colares e e ideologias de alfa, dominância e matilha não provadas não têm lugar aqui no Good Hound. Nós nos esforçamos para nos mantermos atualizados em nossa educação e treinarmos apenas com as práticas de treinamento mais atuais, humanas e baseadas na ciência.

E o seu cão certamente vai se beneficiar com isso!

Pacote Board & Train Reactive Dog

O embarque e o trem têm duração mínima recomendada de 3 semanas.

  • Pacotes personalizados estão disponíveis, entre em contato conosco para um orçamento
  • A Good Hound reserva-se o direito de mandar para casa qualquer cão que acreditamos não se beneficiará com a alimentação e o treinamento até o 4º dia. Se for esse o caso, você só será cobrado por noite à taxa de US $ 150 / noite.


Treinamento de cães: treinamento de obediência para cães

Neste artigo

Neste artigo

Neste artigo

A maioria das pessoas ama seus companheiros peludos. No entanto, nem todo momento é agradável quando seu cão não é treinado para se comportar de maneiras específicas ou evitar comportamentos indesejados.

Existem muitas técnicas transmitidas de fontes desconhecidas que indicam a melhor maneira de fazer com que seu cão não faça algo. Mas qual é o melhor método e como você usa essas técnicas?

Aprenda os métodos mais comuns de treinamento do seu cão, bem como as técnicas que não deve usar.


Um cão destreinado de uma raça de proteção é uma “arma letal que pode puxar seu próprio gatilho”. [25]

As lojas de suprimentos para animais de estimação (por exemplo, Pet Depot) estocam os equipamentos e suprimentos de que você precisa (caixa, coleira, guia, escova, pente, xampu, spray para pulgas, tigelas, etc.), mas seus preços são mais altos do que os do correio- fornecedores de pedidos. Um dos fornecedores de mala direta mais rápidos e confiáveis ​​é a R. C. Steele Co. (consulte Referências e fontes).

Eu estava conversando com um amigo que estava pedindo meu conselho sobre que tipo de cachorro comprar. Ela queria um cachorro grande que fosse fácil de treinar e cuidar, seguro perto de seus filhos e um bom protetor. Eu disse que ela estava descrevendo um Dobie…. um bom Dobie é o cão que eu escolheria se tivesse um filho que precisasse de um amigo confiável e vivesse em uma atmosfera de risco - mas enfatizo que muito mais é captado do que posso dizer aqui pela expressão “um bom Dobie. ”
Vicki Hearne, Felicidade Animal (16)

A. Por que um Dobe? Se você quer um cachorro de pêlo curto, de tamanho médio e altamente treinável, que não baba muito, quem daria um excelente animal de estimação da família e que também deteria criminosos apenas pela aparência, então um Doberman preto fêmea é o tipo de cachorro a se pegar.

B. Evitando problemas de saúde: C. David McLaughlin, DVM, Presidente do Comitê de Registro Médico / Saúde, Doberman Pinscher Club of America (DPCA) e Vice-Presidente / Subsídios, The Doberman Pinscher Foundation of America, Inc., [26] escreve:

As doenças primárias associadas ao Doberman são doença de von Willebrand (VWD), instabilidade vertebral cervical (síndrome de Wobblers ou espondilopatia cervical), cardiomiopatia dilatada, hipotireoidismo, hepatite crônica ativa (toxicose associada ao cobre), doença de pele crônica associada à diluição da cor (azuis e filhotes) e as condições associadas à recente adição de albinismo (às vezes referido como “Doberman branco”) ao pool genético. [27]

Ele aconselha a triagem para VWD e displasia do quadril e verificação de antecedentes familiares para Wobblers, cardiomiopatia e hipotireoidismo. [28]

No momento, a Fundação Ortopédica para Animais (OFA) mantém um registro de displasia de quadril [ver Apêndice A] e hipotireoidismo, fornecendo informações valiosas sobre ... [pais de filhotes]. À medida que testes confiáveis ​​para outras doenças forem desenvolvidos, eles serão adicionados ao registro.

Dr. McLaughlin também enfatiza que

… No ritmo em que a medicina veterinária está avançando, alguns materiais [sobre problemas de saúde caninos] podem estar obsoletos antes mesmo de serem publicados. Conseqüentemente, não há substituto para solicitar o conselho de um veterinário de cuidados primários para obter as informações mais atualizadas…. A pesquisa está em andamento para desenvolver testes de DNA para cardiomiopatia e VWD. Um teste de DNA está disponível para a toxicose do cobre em algumas raças no momento, mas não para o Doberman, ainda. [29]

Alguns reproduzem Dobermans ‘gigantes’ (acima de 28 ″). Esses cães são mais suscetíveis a problemas ósseos, como displasia de quadril, do que os dobermans normais e, portanto, devem ser evitados. É duvidoso que o tamanho extra proporcione uma proteção significativamente maior para o proprietário.
Se você quer um cachorro ainda maior e não se importa com aquele que baba, considere:

VI. Alternativas maiores para cabelos curtos: Bullmastiffs e Rottweilers

Bullmastiffs não são tão "estáveis" temperamentalmente como o mastiff, mas a maioria das pessoas diz que eles são doces. Alguns tendem a atacar e / ou matar gatos e outros cães. [30]
A displasia do quadril é um problema comum na raça, assim como o linfsarcoma.

Os rottweillers têm uma necessidade avassaladora de ser dominantes, e apenas algumas pessoas podem lidar com isso com sucesso. Eles também têm a tendência de “colocar na boca” coisas, principalmente as mãos. Muitos tendem a ser agressivos com os cães, mas a maioria dos problemas de comportamento provém dos donos. O maior problema geral são os cães mimados. O comportamento que pode parecer fofo em um filhote se torna perigoso em um adulto de 90-120 lb. Um “problema” no Rottweiler é o comportamento de pastoreio. Muitas pessoas não reconhecem esses comportamentos pelo que são, especialmente em filhotes, eles os veem como um comportamento agressivo e os corrigem exageradamente ou os agravam para uma agressão. Esta raça também tem alguns problemas com timidez, mas não tanto quanto o GSD.
Problemas de saúde: frequentes: processo coronoide (fragmentado) FCP, osteocondrite dissecante, ureter ectópico (especialmente mulheres) não incomuns: acalasia de esôfago, ruptura do ligamento cruzado incomum: displasia retinal rara: hipomielinogênese.

VII. Alternativas de cabelos compridos: Akitas, belgas, Bouviers e GSDs

Se você não se importa com as copiosas necessidades de soltar e cuidar de um cão de pêlo comprido, um belga pode ser uma boa escolha. Os cães pastores são pretos, o Tervuren pode ter uma mistura de escuro e claro (fulvo rico a mogno castanho-avermelhado com cobertura preta); os Malinois parecem cães pastor alemães em sua coloração geral (fulvo a mogno) e no comprimento do pelo. Uma vez que eles ainda são menos populares do que muitas das outras raças de proteção, eles não foram reproduzidos na mesma medida. [31] No entanto, para se proteger contra a displasia do quadril, verifique a certificação OFA no pedigree do cão, peça também a certificação CERF e fique alerta para qualquer tendência familiar para epilepsia e outros distúrbios causadores de convulsões. Em qualquer lugar de 10% a 35% de Tervuren pode ser afetado em algum grau por este último, os Sheepdogs parecem menos suscetíveis a esta gama de problemas. Timidez e comportamento de pastoreio também podem ser um problema nos belgas. [32]

GSDs bem criados são cães de trabalho versáteis. O problema de temperamento mais comum em GSDs é a timidez. A maior parte das mordidas é por mordedores de medo, ao invés de cães agressivos. Este problema tende a ser agravado pelos donos que ou mimam o cão, porque percebem que o cão está com medo, ou que o elogiam por “protegê-lo”. Como em Rottweilers, um “problema” no GSD é o comportamento de pastoreio.
Problemas de saúde: comuns: má absorção, VWD, panosteíte, processo anconeal não unido, radiculomielopatia degenerativa crônica, epilepsia idiopática (especialmente mulheres) não incomum: acalasia de esôfago, furunculose anal, pannus (doença da córnea), estenose subaórtica (em algumas cepas) incomum : hemofilia A, arco aórtico direito persistente, pioderma raro: cistos dermóides, síndrome de Ehlers-Danlos, neuropatia axonal gigante, (hem) angiossarcoma variável: catarata incomum: distrofia corneana. [33]

Bouviers são cães infantis fantásticos. Eles são equilibrados e extremamente inteligentes, mas não obedientes imediatamente, embora sejam sensíveis: a linguagem severa é mais eficaz do que a correção física. Para um cachorro grande, eles têm um apetite relativamente pequeno (exceto quando filhotes). Embora grande e imponente. (95 a 105 lbs. É típico) eles são notavelmente ágeis e gostam de jogar pesado, especialmente quando são mais jovens. No interior, são calmos ao ar livre, virtualmente inesgotáveis. A limpeza pode consumir a maior parte de um sábado. A limpeza duas vezes por semana é preferível.

Problemas de saúde: comuns: displasia do quadril, entrópio não incomum: paralisia laríngea, miopatia rara: glaucoma. Alguns sofrem de hipotireoidismo, mas a raça não é conhecida por esse problema.

O maior problema do Akitas é a agressividade em relação a outros cães, embora eles tendam a não agir a menos que sejam provocados. Como rottweilers, eles exigem uma mão firme, mas não dura. Bem treinados, eles podem ser ótimos com pessoas, incluindo crianças.
Seus casacos são muito parecidos com os Huskies da Sibéria. Eles sopram o casaco duas vezes por ano (uma bagunça por cerca de 2 a 4 semanas), mas no resto do tempo eles têm muito pouca perda de cabelo, nada que uma boa escovação semanal não controlaria. São animais muito limpos e normalmente não é necessário tomar banho mais do que uma vez a cada 3-6 meses.

Akitas são propensos a displasia do quadril. A atrofia progressiva da retina (PRA) é um problema da raça (assim como entrópio e catarata). A tireoidite autoimune é muito comum. Várias doenças autoimunes - VKH (Voight-Koyanagi-Harada), pênfigo, anemia hemolítica autoimune - são bastante comuns. A hipercalemia é geralmente um diagnóstico incorreto em Akitas, seus glóbulos vermelhos são diferentes de outros cães (exceto para um tipo de poodle) e são mais frágeis. Problemas de pele, como alergia a pulgas, também estão se tornando mais comuns.

VIII. Raças “raras” [seção na infância]

Nas versões anteriores deste FAQ, concentrei-me nas raças mais comuns, que podem ser registradas pelo AKC. A preocupação com os problemas de saúde da raça e os comentários de algumas pessoas que têm experiência com cães e questões de segurança me levaram a tentar expandir a cobertura para incluir raças menos comuns nos Estados Unidos. (Obviamente, nunca há garantias de que um cão gozará de boa saúde, mesmo com o cuidado mais responsável.) No entanto, obter um cão de uma raça rara apresenta alguns problemas especiais.

Duas raças que se recomendam são o Bulldog Americano e o Beauceron (ou Bergers de Beauce - um cão pastor francês). O aparecimento de cães pretos de qualquer raça impediria a todos, exceto os criminosos mais loucos, e seu comportamento protetor deveria desencorajar os demais.

St. Sacrement Beaucerons [muitas informações e links]

O Bulldog Americano tem uma cabeça de buldogue, mas é muito mais alto e pesado do que os Buldogues Inglês ou Francês, muitas vezes pesando bem mais de 90 libras.

O Beauceron foi descrito como parecendo um cruzamento entre um Doberman e um GSD, com altura e (em 90% da raça) coloração semelhante a Dobermans pretos, mas um pouco mais densamente construído.

O Caucasiano Ovcharka, uma raça russa que recentemente chegou aos Estados Unidos, é totalmente leal e protetor com sua família imediata. Com 160 libras para um macho, a raça realmente não é para todos.

Cães maravilhosos podem ser encontrados em abrigos de animais, mas o risco de contrair um com problemas de saúde e temperamento é significativamente maior quando as informações sobre o cão são muito limitadas, como costuma ser o caso. (O risco pode ser reduzido de alguma forma com a contratação de um treinador experiente para ajudar a escolher o cão e com um veterinário para verificar o cão antes de adotá-lo.) Seu filhote de cachorro puro-sangue e O cachorrinho perfeito ofereça bons conselhos, assim como A opção de adoção. O Arte de Criar um Filhote de Cachorro e Guia do proprietário para um melhor comportamento em cães e gatos contém seções detalhadas sobre testes de temperamento de cachorros. Versões mais simples dos testes são descritas no artigo de Carol Lea Benjamin Cão de segunda mão e Filhote de Cachorro Escolhido, e em A opção de adoção e O cachorrinho perfeito.

Muitas raças têm organizações de resgate ativas, outra boa fonte de cães "usados". Criadores e clubes canis geralmente sabem quem entrar em contato. E há um diretório de organizações de resgate: Network for Ani-machos e fêmeas, Diretório de raça do projeto. Algumas das informações mais atualizadas estão disponíveis na rede mundial de computadores.

X. Castração, Saúde e Temperamento

As conexões entre castração, comportamento e taxa de maturação não são claras, embora a castração de cães machos pareça reduzir a perambulação, a luta, a montagem e a marcação que são especificamente motivadas pelo sexo. [34] Como já observado, a grande maioria das mordidas de cães é feita por machos não castrados. Há também um argumento de saúde muito poderoso para a esterilização precoce de cadelas. Das doenças a que estão sujeitas, o câncer mamário é a maior causa de morte no sexo feminino. A esterilização antes do primeiro cio reduz o risco de câncer mamário em mais de 99%. A esterilização entre o primeiro e o segundo cio não é tão protetora, mas ainda reduz o risco em mais de 90% de esterilização entre o segundo e o terceiro cio reduz o risco em cerca de 80% mas esterilizar após a terceira bateria não reduz significativamente o risco após quatro baterias, não há diferença mensurável entre cadelas esterilizadas e intactas. [35]

Referências e fontes (deve ser atualizado)

Muitos desses livros estão disponíveis em bibliotecas públicas e / ou cadeias de livrarias ("shoppings"). Quase todos os livros ou fitas para cães podem ser encomendados no Direct Book Service: Dog and Cat Book Catalog (1700 títulos!), PO Box 15357, Seattle, WA 98115, 1-800-776-2665. Uma enorme quantidade de informações também está disponível na rede mundial de computadores.

American Kennel Club, The Complete Dog Book 18th Ed. (Howell House, 1992) $ 7,99 ISBN 0-87605-464-5
Massad F. Ayoob, A verdade sobre autodefesa (1983, The Police Bookshelf, PO Box 122, Concord, NH 03302-0122 1-800-624-9049) $ 7,99 pbk ISBN 0-317-64452-1
Carol Lea Benjamin, Filhote de cachorro escolhido: como selecionar e criar um grande filhote de cachorro em um abrigo para animais (Howell Book House, 1990) $ 7,95 pbk ISBN 0-87605-417-3
Carol Lea Benjamin, Problemas do cão (Doubleday and Co., 1981) $ 13,95 capa dura ISBN 0-385-15710-X
Carol Lea Benjamin, Mãe sabe o melhor: a maneira natural de treinar seu cachorro (Howell Book House, 1985) $ 15.95 capa dura ISBN 0-87605-666-4
Carol Lea Benjamin, Cachorro de segunda mão: como transformar o seu em um animal de estimação de primeira (Howell Book House, 1988) $ 6,00 pbk ISBN 0-87605-735-0
Carol Lea Benjamin, Sobrevivendo à adolescência do seu cachorro (Howell Book House, 1993
John Blackwell, Bulldog Americano (T F H Pubs, 1994) $ 14,95 ISBN 0866228675
William E. Campbell, Problemas de comportamento em cães 2ª ed. (Goleta, CA: American Veterinary Pubs., 1992) $ 32,95 capa dura ISBN 0-939674-36-X
William E. Campbell, Guia do proprietário para um melhor comportamento em cães e gatos (Loveland, CO: Alpine Publications, 1989) $ 14,95 pbk 0-931866-42-D
Delbert G. Carlson, DVM e James M. Giffin, MD, Manual veterinário da casa do proprietário de cães (Revisado e expandido) (Howell Book House, 1992) $ 25,00 capa dura ISBN 0-87605-537-4
Annette M. Carricato, Notas veterinárias para criadores de cães, (Howell Book House, 1992) ISBN 0876058055.
Ross D. Clark e Joan R. Steiner, Aspectos médicos e genéticos de cães de raça pura, (Edwardsville, Kansas: Veterinary Medical Pubs., 1983) ISBN 093507824X
Sydney C. Cooper, Anne Scott e os editores da Consumer Reports Books, Segurança do lar (Consumer’s Union, 1988) $ 15,00 pbk ISBN 0-89043-087-X
Stanley Coren, A inteligência dos cães: consciência e capacidades caninas
(Bantam Books, 1995) ISBN 0553374524
Mark Derr, Dog’s Best Friend: Annals of the Dog-Human Relationship (Henry Holt & Company, 1997) $ 25,00 ISBN 0805040633
Karen Freeman Duet e George Duet, O cão de proteção da casa e da família: seleção e treinamento (Howell, 1993) 0-87605-619-2
Programa de treinamento de filhotes de cachorro Sirius do Dr. Ian Dunbar (Pacific Arts Video, 1-800-538-5856, 50 N. La Cienega Blvd., Beverly Hills, CA 90211) $ 14,95
Ian Dunbar, Como ensinar velhos truques a um cachorro novo (Sirius Puppy Training Program Manual) (Oakland, CA: James and Kenneth Pubs., 1991) $ 17,95 em espiral
Fiorenzo Fiorone, ed., Enciclopédia de cães (HarperCollins, 1973) ISBN 0690000561 [e (Thomas Y. Crowell Co., 1973) ISBN 0-690-00056-1]
Cathy J. Flamholtz, Uma celebração de raças raras (OTR Pubs, 1986) ISBN 0-940269-00-7
Benjamin Hart, DVM, PhD e Lynette A. Hart, PhD, O cachorrinho perfeito (WH Freeman, 1987) $ 9,95 pbk ISBN 0-7167-1829-4
Vicki Hearne, Bandido: Dossiê de um cão perigoso (Harper, 1991) $ 11,00 pbk ISBN 0-06-019005-1
Vicki Hearne, Felicidade Animal (HarperPerennial, 1995) $ 12,00 pbk ISBN 0-06-092606-6
James Herriot, Histórias de cachorros (St. Martin’s Press, 1986) $ 5,99 pbk ISBN 0-312-92558-1
William R. Koehler, O método Koehler de treinamento de cães de guarda (Howell Book House, 1962 e 1967) $ 24,95 ISBN 0876055528
R. M. Koster, Cachorro Carmichael (Norton, 1992) ISBN 0393033910
Michele Lowell, Seu filhote de cachorro de raça pura: um guia do comprador (H. Holt and Co., 1991) $ 10,95 pbk ISBN 0-8050-1892-1
Maurice Luquet, Les Chiens de Berger Français (Editions de Vecchi, 1982) LC 83-131973 SF428.6 .L865 1982 ISBN 2-7328-0325 85,00 Francos
Jack MacLean, Segredos de um superladrão (NY: Berkley Books, 1983) ISBN 0-425-05645-7
Donald McCaig, Cachorros eminentes, homens perigosos: em busca de um border collie na Escócia (Harper, 1991) $ 10,00 pbk ISBN 0-06-098114-8
Monges de New Skete, A Arte de Criar um Filhote de Cachorro (Little Brown, 1991) $ 17.95 capa dura ISBN 0-316-57839-8
Rede para homens e mulheres ani, Diretório da raça do projeto: Livro Amarelo (Germantown, MD, 1989) $ 18,95 pbk ISBN 0938073028
Rede para homens e mulheres ani, Diretório da raça do projeto: Livro Vermelho (Germantown, MD, 1993) $ 25 + $ 3,05PH 18707 Curry Powder Lane, Germantown, MD 20874
Mary Randolph, Dog Law 2ª ed. (Nolo Press, 950 Parker Street, Berkeley, CA 94710, 1-800-645-0895) $ 12,95 pbk. ISBN 0-87337-216-6
Roy Robinson, Genética para criadores de cães (Pergamon Press, 1990) ISBN 0080374921
Eliza Rubenstein and Shari Kalina, The Adoption Option: Choosing and Raising the Shelter Dog for You (Howell Books, 1996) ISBN 0876054254.
Clarice Rutherford and David H. Neil, How to Raise a Puppy You Can Live With 2nd Ed. (Loveland, CO: Alpine Publications, 1992) $9.95 pbk ISBN 0-931866-57-X
Carl Semencic, The world of fighting dogs (TFH Pubs, 1984) $23.95 ISBN 0866226567
Larry Shook, The Puppy Report (NY: Lyons and Burford Pubs., 1992) ISBN 1-55821-140-3
Elizabeth Marshall Thomas, The Hidden Life of Dogs (Houghton Mifflin, 1993) 0-395-66958-8
David Alan Wacker, The Complete Guide to Home Security: How to Protect Your Family and Home from Harm (Betterway Pubs., Box 219, Crozet, VA 22932 1-804-823-5661, 1990) $14.95 pbk ISBN 1-55870-163-X
Bonnie Wilcox, DVM and Chris Walkowicz, The Atlas of Dog Breeds of the World (Neptune City, NJ: T.F.H. Pubs., 1989) ISBN 0-86622-930-2
Malcolm Willis, Genetics of the Dog (Howell Book House, 1989) ISBN 087605551X
Malcolm B. Willis, Practical Genetics for Dog Breeders (Howell, 1992) 0-87605-782-2

For Supplies:
R. C. Steele Co., 1989 Transit Way Box 910, Brockport, NY 14420-0910 for catalogue requests: 1-800-872-4506 for credit card orders: 1-800-872-3773. (There is a $50 minimum on each order.)

Appendix A: Incidence of Hip Dysplasia in Featured Breeds

Breed % Dysplastic # of Evaluations
Bullmastiff 29 1500
Rottweiler 22 57158
GSD 20.8 46089
Bouvier 18.1 3704
Akita 15.7 8871
Dogue Alemão 13 4879
Ridgeback 8.3 3920
Belg. Malinois 6.9 522
doberman 6.8 6656
Belg. Tervuren 4.4 2234
Belg. Sheepdg 2.9 1799


Period covered: Jan ’74-Jan ’95 [36]

Appendix B: Choosing a Protection Dog

1. Do you have the resources for a dog?

Tempo [1 hour/day or more – probably more]

Espaço [cubic feet vs. Personal see end of II. D.]

Energia for walks and play

Buying the dog

From a breeder
From a shelter

Livros
Collar
Caixote
Dog door
Fencing
Food bowls
Gates
Asseio
Leash
Toys (nylabone, etc.)

Money – Monthly Maintenance

Comida
Supplies (flea & tick repellent, heartworm preventative, etc.)
Vet bills (immunizations, medications, dental care)

[A rough estimate of the range of costs: for a small male from a shelter, about $200 initially and $25 per month for a very large female from a breeder, about $1200 initially and about $70 per month. Your mileage may vary.]

2. What kind of help with personal safety do you need?

Watchdog – almost any barking dog will do (consult Lowell and Hart and Hart and check Coren’s lists

Attack – Unless you like living with an uncontrollable loaded gun, this requires thousands of dollars and hundreds of hours. The dog may cost $3000, and you’ll need to go through 1-2 years of intensive, professionally guided training with the dog. Please read Duet & Duet and Koehler and then consult with the relevant experts.

Protection – What kind of protection dog do you want? (see chart)
Size, Sex, Ease of Care, Trainability

Breed Tamanho Care & Clean-up Brains
F M Casaco Drool
Hgt
no
Wgt lbs Hgt Wgt
Akita 24-26 90 26-28 110 M-H N C
Belgians:
Malinois 22-24 65 24-26 75 M N UMA
Shepherd 22-24 65 24-26 75 H N UMA
Tervuren 22-24 65 24-26 75 H N UMA
Bouvier 23.5-26.5 80 24.5-27.5 100 H+ N B
Bullmastiff 24-26 110 25-27 120 L Y C
doberman 24-26 60 25-27 70 L N A+
GSD 22-24 70 24-26 85 M-H N A+
Rottweiler 22-25 90 24-27 110 L Y A+

Appendix C: Some NC Research Triangle Resources

Ms. Jan Santel, an agility competition judge and trainer, is an excellent source of information and forthright advice. She has had several Dobermans, though does not breed them, and runs Autumn Winds, a dog agility and obedience training center at Route 1, Box 11-D, 3701 Bosco Road, New Hill, NC 27562 (919) 362-4084, 4091. E-mail: [email protected] Novices and experienced owners alike have found Ms. Santel to be very helpful.

For help with herding breeds, contact the Triangle Herding Club.

I’m sure that there are other fine trainers in the area.

[*]A November 15, 1992 LA Vezes article reports security expert Richard W. Kobetz’s view that criminals will try new tactics as home security improves, and that car-jackings will likely increase. It is estimated that in 1994, there were over 300,000 incidents of breaking and entering in NC alone fewer than 2000 of the criminals were sent to jail. The national average is about the same. And most crime goes unreported.
[1]See References and Sources for more detailed information on books and tapes.
[2]For color photographs, see: AKC, The Complete Dog Book and Wilcox and Walkowicz, The Atlas of Dog Breeds of the World.
[3]A great place to meet all three together is at dog shows. Check the monthly Dog World, available at many libraries and newsstands, for extensive listings. Local kennel clubs can also help.
[4]Life with a dog is also well described in fiction. R. M. Koster’s novel, Carmichael’s Dog, is a profoundly witty account of how a dog’s purity of heart may be enlisted in the fight against even the most tenacious personal demons. James Herriot’s Dog Stories is wonderful ‘faction’. Some excellent contemporary nonfiction narratives are: Stanley Coren, A Inteligência dos Cães Vicki Hearne, Bandit: Dossier of a Dangerous Dog (an artfully written and sophisticated consideration of the question, Do dogs have minds?) and Donald McCaig, Eminent Dogs, Dangerous Men (on the importance of giving dogs some work to do). You can find many other dog tales, fictional and factual, in public libraries.
[5]A police officer in a K9 unit agreed with MacLean’s reassessment of criminals who say they’re not scared by dogs: almost all of them are lying.
[6]This is not the name of a breed. The term refers to dogs of various breeds: American Pit Bull Terrier, American Bulldog, Dogo Argentino, American Staffordshire Terrier, Staffordshire Bull Terrier and perhaps Bull Terrier, as well as dogs resembling these. Ver Bandido for a discussion of why this isn’t merely a matter of semantics. None of these breeds fits the profile of a protection dog in section D. An ill-bred, badly mistreated ‘pit bull’ might attack people – the owner included. Who’d want such a dog?!
[7]MacLean says that creative signs also help. ( BEWARE OF DOG is too ‘old hat’.) For example: BEWARE: RABIES QUARANTINE AREA KRANKHEIT RABIES RESEARCH FOUNDATION DANGER: EXTREMELY VICIOUS BARKLESS GERMAN ROTTWEILERS ATTACK DOGS TRAINED AND SOLD HERE OUR GREAT DANE WELCOMES YOU FOR A MEAL WE CAN MAKE IT TO THE FENCE IN THREE SECONDS – CAN YOU?
After getting a dog, it’s wise to have it tatooed with, say, your SS# and to register the dog and number with the National Dog Registry, Box 116, Woodstock, NY 12498 (914) 679-BELL FAX (914) 679-4538. (There’s a one-time fee of $35 per owner – so if you later adopt, say, 50 dogs, there’s no further fee.) If you do register with the NDR, you’ll get a window decal that reads, WARNING: TATOOED PETS REGISTERED WITH NATIONAL DOG REGISTRY WOODSTOCK, N.Y. (800) NDR-DOGS. At least, this may give a burglar pause. Perhaps s/he’ll think that your dog’s a really mean biker.
[8]The average installed cost of such a system is about $2000 the monitoring service charge runs about $25 per month. The lifetime cost of such a system is therefore comparable to that of a dog but no such system can greet you with joy at the end of hard day.
[9]Wacker, The Complete Guide to Home Security, quotes relevant data from The Figgie Report Part VI-The Business of Crime: The Criminal Perspective (Figgie International, Inc., 1988). See also Cooper, Home Security on MacLean’s survey.
[10]The Duets call this “Level I Protection Training.” They agree that it’s reasonable for most people to stop training at this level.
[11]Levels II and III Protection Training in the Duet’s terms.
[12]Training a dog properly as an attack-dog is a difficult and very time- (and/or money-) consuming process. (The Duets say it takes 1-2 years, with the help of professional trainer. See also The Koehler Method of Guard Dog Training.) An improperly trained attack-dog can be dangerous to its owner. Dogs made ‘mean’ through brutal and so improper training methods are unreliable and so not safe around other living things. Statistics from the Centers for Disease Control and the Humane Society of the US show that the most likely victim of a dog’s aggression will be its owner, a family member or a neighbor in six out of ten cases, it will be a young child.
[13]The K9 unit officer reported that his field experience strongly supports the claim that black dogs are more of a deterrent.
[14]Koehler gives a list of dog breeds (pp. 36-52) to look at if one seeks watch, protection or attack capabilities: Airedale (P), Belgian Sheepdog (P), Belgian Tervuren, Bouvier des Flandres (P), Boxer (P), Briard (P), Bullmastiff, Chesapeake Bay Retriever, Chow Chow, Collie, Dalmatian, Doberman (P) (“one of the best choices”), German Shorthaired Pointer, German Wirehaired Pointer, Great Dane, Great Pyrenees, GSD (P) (“there is not a finer working dog than a good GSD”), Kerry Blue, Kuvasz, Newfoundland, Rottweiler, Saint Bernard, Staffordshire Terrier (P-some), Standard Schnauzer, Weimaraner. A “(P)” indicates suitability for police work (pp. 78-79), with Giant Schnauzers added for this purpose. Dachshunds and some Toys can also be good watchdogs.
[15]or withers, as it’s called dog heights are standardly given in this way.
[16]As Hart and Hart have documented, dogs of toy breeds and other comparably-sized dogs tend to be highly reactive, and dogs of some of the larger breeds tend to be quieter. It’s not inconceivable that some would find a Pomeranian more intrusive than a Bullmastiff.
[17]Ayoob suggests considering Great Danes (he’s owned them) and Rhodesian Ridgebacks, too. The sheer size of a Great Dane is intimidating. Ridgebacks were originally bred in South Africa to protect farms against lions and human marauders. Others have suggested Corgis they make fine watchdogs but are too small to serve as protection dogs. Lowell advises:

If all you want is a dog that barks, you can make your choice from among all the breeds [except Basenjis]. But if you must have a breed with some size, muscle and protective reputation, choose from: German Wirehaired Pointer, Chesapeake Bay Retriever, Irish Water Spaniel, Weimaraner, Norwegian Elkhound, Rhodesian Ridgeback, Akita, Boxer, Bullmastiff, Doberman, Giant Schnauzer, Great Dane, Great Pyrenees, Komondor, Kuvasz, Mastiff, Rottweiler, Standard Schnauzer, Airedale Terrier, American Staffordshire Terrier, Irish Terrier, Kerry Blue Terrier, Staffordshire Bull Terrier, Chow Chow, Australian Cattle Dog, the Belgian herding breeds, Bouvier des Flandres, Briard, Germand Shepherd, Puli, Australian Shepherd, Chinese Shar-pei, Chinook, Leonberger, and Louisiana Catahoula Leopard Dog. (23)

As indicated above, however, size, muscle and protective reputation are not all that’s necessary in a protection dog, so it’s better to go by the profile and breed list in D. (The Duets add Boxers to the list, and say others might be suitable, too.)
[18]For more on this topic, see Randolph’s Dog Law. Some courts have found that a dog can be a deadly weapon and its presence can be an aggravating factor in an assault, even when the dog never touches the alleged victim.
[19]-for the largest dogs, way up: $800 is not unusual. The price for such a pet-quality puppy is just about the cost of breeding and raising it properly until it’s ready for adoption around 10 weeks. Very few breeders break even. So there’s reason to be suspicious if a dog of larger breed is offered for less.
[20]For additional cautionary tales, see: Larry Shook, The Puppy Report. Shook reminds us that a guarantee, oral or written, is only as good as the guarantor. (Only a few states have even adopted ‘lemon’ laws for pet buyers: Arkansas, California, Connecticut, Florida, New Hampshire, New York, Vermont, Virginia.) For additional information, consult: Roy Robinson, Genetics for Dog Breeders or Annette M. Carricato, Veterinary Notes for Dog Breeders. For even more detail, see: Ross D. Clark and Joan R. Steiner, Medical and Genetic Aspects of Purebred Dogs (encyclopaedic, out of date, but still useful) and Malcolm Willis, Prático Genetics for Dog Breeders (simpler than his Genetics of the Dog).
[21]Some owners who’ve suffered with or even lost a dog to defects will say, “I’ll never own another _____. I couldn’t go through the pain again.” If the defect is uncommon or readily treatable, then this (understandable) reaction might be a rational basis for caution, but not for avoiding the breed altogether.
[22]One dramatic example is Clark and Steiner’s section on Beagles, which gives one of the longest lists in their book. But this is due in large part to the popularity of Beagles as lab animals.
[23]The latter is based on a standard text, Campbell’s Behavior Problems in Dogs. These books explain how most ‘dog’ problems really result from unreasonable owner expectations and behavior or from treatable dog health problems.
[24]If you consult several books and/or tapes, you’ll discover that there is disagreement about dog training methods. But much the same is true for books on child-raising, another very complex subject, which has been far more extensively studied. There does seem to be universal agreement that for dogs as well as for children, preventing behavior problems is best achieved through rewards for desired behavior, rather than punishment for undesired behavior. Of course, different dog/owner teams may require different sorts of methods, just as different parent/child ‘teams’ may need different approaches towards child-raising.
[25]There are about 53 million dogs in the US, and about a million dog bites reported each year, with perhaps three times that number unreported, and about twenty percent requiring medical attention. Unneutered dogs account for about eighty percent of all bites and nearly 100 percent of serious maulings 87 percent of all biting dogs are male (CDC and HSUS). Of course, human beings are far more dangerous than dogs are, by any reasonable statistical measure. There are about five times as many people as dogs in the US dogs kill about 15 people per year, humans about 22,000 and there are over 10 million violent crimes per year, about fifty percent resulting in significant injury. And people kill about 5 million dogs per year.
[26]144 Algonquin Road, Barrington Hills, IL 60010-8602, 847-428-7155, FAX 847-428-0610. The Foundation, which is distinct from the DPCA, accepts tax-deductible donations and bequests for medical research.
[27]Albino Dobermans have been reported to have some temperament problems, possibly associated with extreme sensitivity to light.
[28]Some information on VWD from Leah Cohn, DVM, PhD, College of Veterinary Medicine, UMissouri: There are three types of VWD, only one as severe as human haemophilia. Dobermans have the mildest of the three types: an afflicted dog will have increased clotting times if cut (e.g., during surgery), but bleeding incidents respond very well to transfusion and drugs. Generally, the Dobermans who are carriers only won’t bleed excessively, and the affected dogs will bleed, but not much. [If a VWD dog is taking aspirin (say, for orthopaedic problems), then this can make the clotting problem worse.] Hypothyroidism can cause the VWD factor to decrease, too, but this is remedied by thyroid hormone replacement therapy. There are three tests for VWD most samples are sent to the lab of W. Jean Dodds, DVM, in Albany, NY. The tests are not all that reliable. For example, if less than 40% of the normal amount of the VW factor is present, the dog is called affected, with 40%-70%, the dog is called a carrier, more than 70%, the dog is said to be clear. (These are muito rough figures.) But dogs classified as carriers in this way can bleed more than dogs classified as affected – there are other factors that will determine the severity of symptoms.
[29]Dr. Cohn also offered this additional information about Doberman health problems: The choice of a black female is a good one since blacks (and reds) have less skin disease, and females have much less cardiomyopathy. Dobermans (and to an even greater extent, Rottweilers) may not respond as well as other breeds to parvovirus vaccine, so it’s a good idea to give them extra vaccinations later, e.g., again at 6 months.
Far less frequent Doberman health problems: congenital renal disease (similar to glomuleronephritis), apparent by 16 weeks, rare osteosarcoma (far more common in giant breeds, e.g. Great Danes), a disease of middle age, first apparent as a lump toward elbow or away from knee producing lameness by the time the lump is seen, the cancer has already spread and it’s too late to do much about it copper storage disease of liver, beginning in puppyhood (quite common in Bedlington terriers), affects older females more severely tribrissin arthropathies: an inflammatory response to a very common antibiotic, which, however, stops soon after the medication is withdrawn there are other, even better (though more expensive) antibiotics to use instead ciliary dyskinesia in nose and throat, seen as runny nose in young puppy.
A small percentage of Dobermans will lick a spot on their flanks repeatedly (‘flank-sucking’), causing a multiple lick granuloma (or, acral lick dermatitis). The psychoactive medications that help human beings trapped in obsessive-compulsive behavior may also help dogs. Some veterinary dermatologists contend that the licking is the dog’s response to a deep skin infection (pyoderma) and that anti-staph antibiotics are therefore at least as effective as the psychoactive medications.
[30]Other kinds of mastiffs, e.g. Neapolitan, may also be suitable for protection.
[31]The K9 unit mentioned above uses Belgian Malinois (and the similar but rarer Dutch Shepherds) because they have fewer health problems than German Shepherd Dogs and some other protection dog breeds. The increased popularity of Belgian Malinois for police work has led to a corresponding increase in their popularity generally, an effect that has been observed with other breeds, as well.
[32]Every breed ought at the very least to have a registry like that of the DPCA, but few do. As Shook discovered, it is difficult to get accurate data on health problems because many breeders of most breeds are reluctant to talk about such problems.
[33]Six helpful books on GSDs: Anna Katherine Nicholas, The Book of the German Shepherd Dog, T.F.H. Publications, 1983 M. B. Willis, The German Shepherd Dog: Its History, Development and Genetics, Arco Publishing Co., 1991 Winifred Gibson Strickland and James A. Moses, The German Shepherd Today, Macmillan Publishing Co., 1974 Jane G. Bennett, The New Complete German Shepherd Dog, Howell Book House, 1982 Fred Lanting, The Total GSD Susan Barwig, The German Shepherd Book. Get Willis if you’re only going to get one. The German Shepherd Quarterly covers working dogs in obedience, herding, search and rescue and Schutzhund as well as the breed ring. Subscriptions are available from The German Shepherd Quarterly, 4401 Zephyr Street, Wheat Ridge, Colorado 80033-3299.
[34]One of the few systematic studies of this very complex subject was done by leading animal behaviorist Dr. Benjamin L. Hart. Hart’s study found that

… castration doesn’t affect hunting ability or watchdog behavior. There are individual differences in how it affects other behaviors. Some differences are probably a result of the environment but many are due to breed and genetics. Roaming showed the greatest degree of change with over 90 percent of the dogs having either a rapid or gradual decline. This is probably a result of the lessening in sexual drive. Fighting with other male dogs showed 40 percent to have a rapid decline and 22 percent a gradual decline. About 50 percent showed a decline in urine marking in the house. The act of mounting dropped rapidly in about one-third of the dogs studied and gradually declined in another one-third. Much of this decline was in mounting people so castration appears to be a good way to reduce this problem.
There doesn’t appear to be a proven difference in effect from castration before puberty or in the adult dog. In fact, some humane shelters and breeders are neutering their pups by four months of age before they are placed in their new homes. Recent studies have shown no ill effects. And as is true with the female spay operation, there is no basis for the idea that castrated dogs become fat and lazy. (Rutherford and Neil, 155-6)

Experienced breeders and trainers often offer anecdotal evidence that spaying before a female’s first heat will cause her to retain, perhaps permanently, her puppy personality. See, for example, DK Bates and M Miller, “Does early spaying cause bad behavior?,” letter to Dog World, December 1992, p. 4. (In this letter, “early” seems to mean “before the first heat.”) An equally recent comment on this issue appears in the “Questions from Our Readers” column of the Cornell University College of Veterinary Medicine Animal Health Newsletter Vol. 10 No. 11 (January 1993):

Q: Is early spaying related to the development of behavior problems in a bitch?
A: It is unlikely that spaying would increase activity level or cause it to remain at a high puppy-like level. Activity would be expected to decrease when the source of estrogen, the ovarian hormone that increases activity in most species, is removed. This is believed to be the basis of the weight gain observed in spayed dogs.There is one report from the U. K. of bitches who were aggressive before they were spayed and became more aggressive afterward.
There has not been an objective study of the effects of spaying on activity level, however. Because of the recent decision by some humane organizations to neuter animals at a very early age, an opportunity now exists to survey the owners of bitches that were spayed at a very early age, at the traditional prepubertal age, and postpubertal. We hope funds for this study will be forthcoming.

Some of these points are also made in a reply to Bates and Miller: DL Bledsoe, BF Heald, LA Farrell, AJ Tucker, “Early Spaying Reduces Mammary Cancer Risk,” Dog World, March 1993, 4-5.
Some puppy bitches are born with immature or underdeveloped vulvas. These bitches, if spayed before their first heat, may continue to have problems throughout their lives. The physical results of going through heat often correct this problem since the vulva will swell during heat and not shrink back to it’s former size (though it does shrink down from maximal heat-induced size). And one wants to prevent constant vaginal infections as they can lead to bladder infections and possibly kidney infections. Not all puppy bitches are born with this problem. For these normal puppies, spaying before the first heat does not pose any problems.
The often-cited problem of older spayed bitches having continence problems is not a function of when they were spayed. Many, but not all, will respond to estrogen supplementation.
[35]Of course, neutering will also help with the terrible dog overpopulation problem. Millions of dogs are put to death annually because of this.
[36]Orthopaedic Foundation for Animals, University Missouri – Columbia, 817 Virginia Ave, Columbia, MO 65201, (314) 442-0418.

This page was last revised on Tuesday, July 1, 2003


Compare Gentle & Effective No-Pull Dog Training Devices from Pet Expertise

In order to help every dog and person have an enjoyable walk, we offer a variety of gentle and tested to be effective no-pull solutions. However, with this variety comes confusion on which product to choose!

Our owner and dog trainer, Jess Rollins, compares and contrasts our No-Pull harnesses, collars and leashes to help you select the best option for you and your pooch.

Of course, no device is a substitute for training! How to Teach Your Dog to Walk Nicely on the Leash.

Beautifully made, with velvet lining on the belly strap to prevent chafing.

Optional double-ended matching leash is available.

Multi-functional: Can be used as a regular harness or a no-pull harness.

The back attachment tightens somewhat when the dog pulls, which can help prevent pulling as well as escape.

A few dogs are so strong or aggressive that a front attachment harness is not enough control. For these dogs we recommend that you attach the leash to both the back and the front or use a head halter.

Not recommended for use with a leash longer than 6 feet when attached to the chest.

Not recommended for running with your dog when attached to the chest.

The velvet can absorb liquids and get dirty. (It is washable though!).

Unique design of the front-attachment strap prevents gapping and shifting.

High quality, durable construction.

Matching leashes and collars available.

Unlikely to chafe your dog.

Made in the USA of USA materials.

A few dogs are so strong or aggressive that a front attachment harness is not enough control. Those dogs do best in a head halter (and training!).

Not recommended for use with a leash longer than 6 feet.

Not recommended for running with your dog.

Rarely causes chaffing on dogs with very short coats. Works great with our new Strap Wraps!

Whole Dog Journal's top rating!

Every strap is adjustable.

Multi-functional: Can also be used as a regular harness!

Made in the USA of USA materials.

Doesn't restrict your dog's shoulder movement.

A few dogs are so strong or aggressive that a front attachment harness is not enough control. Those dogs do best in a head halter (and training!).

Not recommended for use with a leash longer than 6 feet. (unless attached to the back).

Not recommended for running with your dog. (unless attached to the back).

Rarely causes chaffing on dogs with very short coats. Works great with our new Strap Wraps!

Multi-functional: Can also be used as a regular harness or to restrain your dog in the car (although it is not crash tested),

Doesn't restrict your dog's shoulder movement.

A few dogs are so strong or aggressive that a front attachment harness is not enough control. Those dogs do best in a head halter (and training!).

Not recommended for use with a leash longer than 6 feet (unless attached to the back).

Not recommended for running with your dog. (unless attached to the back).

Easy to fit, put on and take off.

Made in the USA of USA materials.

Chest strap lies higher across the dogs chest so it doesn't restrict your dog's shoulder movement.

A few dogs are so strong or aggressive that a front attachment harness is not enough control. Those dogs do best in a head halter (and training!).

Not recommended for use with a leash longer than 6 feet.

Not recommended for running with your dog.

Rarely causes chaffing on dogs with very short coats. Works great with our new Strap Wraps!

Available for very small dogs.

A few dogs are so strong or aggressive that a front attachment harness is not enough control. Those dogs do best in a head halter (and training!).

Not recommended for use with a leash longer than 6 feet.

Not recommended for running with your dog.

Can cause chaffing on dogs with very short coats. Works great with our new Strap Wraps! or you can choose the Deluxe version which has padding.

Some dogs escape from this harness. We recommend that you attach your leash to both the front clip of the harness and a collar ring.

The straps are away from the dog's armpits and the padding helps prevent shifting and chaffing.

The collar clip is a great security measure.

Multi-functional: Can also be used as a regular harness!

A few dogs are so strong or aggressive that a front attachment harness is not enough control. Those dogs do best in a head halter (and training!).

Not recommended for use with a leash longer than 6 feet when attached to the chest.

Not recommended for running with your dog when attached to the chest.

In our usage we found that the straps would loosen over time. To remedy this, simply place a stitch through the straps once you have it adjusted to your liking.

Multi-functional: Can be used as a exercise harness and no-pull harness.

Comfortable, padded design that is easy to put on.

Lots of great extra features and Ruffwear quality.

May not be quite as effective as other no pull harnesses such as the ones above (we are still testing).

A few dogs are so strong or aggressive that a front attachment harness is not enough control. Those dogs do best in a head halter (and training!).

Not recommended for use with a leash longer than 6 feet when attached to the chest.

Not recommended for running with your dog when attached to the chest.

Easily converts from a regular leash to a no pull harness.

Does not turn the dog's shoulders or put pressure on any joints.

May not be quite as effective as other no pull harnesses such as the ones above (we are still testing).

Does put a small amount of pressure on the throat for some dogs.

Head halters are best for very strong pullers and aggressive dogs since it gives control of the head.

The shape of the HALTI Optifit head halter makes it comfortable for most dogs and it has more adjustability that others we have tried so it can work with even short nosed dogs. It also has some nice security features such as a collar link and reflective detail.

Very easy to put on and to fit.

Great price and good quality.

Takes some training (like all head collars) for most dogs to get used to it.

Possible concern about straining the neck if the dog lunges strongly into the collar.

Not recommended for use with a leash longer than 6 feet.

Head halters are best for very strong pullers and aggressive dogs since it gives control of the head.

The shape of this halter makes it comfortable for most dogs.

Extremely easy to put on and to fit.

Takes some training (like all head collars) for most dogs to get used to it.

Possible concern about straining the neck if the dog lunges strongly into the collar.

Not recommended for use with a leash longer than 6 feet.

The chin portion is not adjustable like the Halti Optifit.

Only our Xtreme Leashes or Leash Shock Absorber are strong enough to effectively reduce pulling.

These work well in addition to one of the above harnesses / collars or for dogs that don't pull very much, or the pulling is only occasional.

Your dog may not learn to stop pulling, but the pulling will feel less strong.

May feel like you have less control over your dog until you get used to how much the bungee stretches.

Curious about other no-pull devices that aren't listed above? Check out our article, Comparison of No-Pull Devices.

Press your browser's back button to return to the previous page.

Thanks for reading and I hope you choose to support our small business with your purchase or by sharing this information with your friends!


Assista o vídeo: FIM DOS ABDOMINAIS, FAÇA A PRANCHA ISOMÉTRICA.. (Junho 2021).